Fatores associados aos óbitos neonatais e pós-neonatais em Moçambique

Serafim Adriano Alberto, Luciana C. de Lima, Roberto Nascimento Rodrigues, Carla Jorge Machado

Resumo


Este trabalho procura descrever e analisar os fatores associados aos óbitos neonatais e pós-neonatais em Moçambique, entre 1998 e 2003, com base nas informações da Demographic and Health Survey (DHS). Foram utilizadas as distribuições de frequência das características selecionadas, segundo os segmentos neonatal e pós-neonatal. Empregou-se, também, a regressão logística de resposta binária, múltipla, com entrada sequencial das variáveis, de forma a verificar a mudança na magnitude e a significância dos coeficientes. Entre alguns resultados obtidos, destacam-se os fatores que se relacionaram de forma inequívoca ao aumento da chance de mortalidade neonatal e pós-neonatal: ser o primeiro filho; tamanho pequeno ao nascimento; e residência na região Norte. A idade da mãe entre 30 e 34 anos revelou-se elemento protetor do óbito infantil nos dois segmentos, enquanto a faixa de 10 a 19 anos apresentou-se como fator de aumento da chance do óbito pós-neonatal. O tamanho grande ao nascimento mostrou-se protetor no caso do segmento pós-neonatal, assim como a residência na região Sul. Finalmente, o parto domiciliar revelou-se deletério ao óbito pósneonatal.

Palavras-chave


Moçambique; Mortalidade infantil; Mortalidade neonatal; Mortalidade pós-neonatal

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



Revista Brasileira de Estudos de População, ISSN 0102-3098 (Impresso) e ISSN 1980-5519 (on-line) 

E-mail: editora@rebep.org.br e secretaria@rebep.org.br 

Financiadores:

 

        

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia