Vivendo a dois: arranjos conjugais em comparação

  • Maria Luiza Heilborn UERJ

Resumo

Vivendo a dois: arranjos conjugais em comparação. Partindo da comparação entre três modalidades de casal – heterossexual, gay e lésbico - em um universo de camadas médias, este artigo propõe-se a analisar os mecanismos sociológicos da conjugalidade em um contexto igualitarista. Enfoca-se as articulações entre igualitarismo, gênero e identidade sexual. O primeiro termo condensa a concepção compartilhada de casal, bem como a mecânica das estruturas de uma vida a dois que caracteriza a esfera privada. O gênero e a identidade sexual dão origem, contudo, a diferentes arranjos conjugais, expressando estes dois termos vetores simbólicos que aludem a um substrato hierárquico no interior da configuração individualista.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2014-01-07
Como Citar
Heilborn, M. L. (2014). Vivendo a dois: arranjos conjugais em comparação. Revista Brasileira De Estudos De População, 10(1/2), 13-24. Recuperado de https://rebep.org.br/revista/article/view/489
Seção
Artigos originais