Aterros sanitários para geração de energia elétrica a partir da produção de biogás no Brasil: comparação dos modelos LandGEM (EPA) e Biogás (Cetesb)

Jean Agustin Velásquez Piñas, Osvaldo Jose Venturini, Electo Eduardo Silva Lora, Michele Aparecida de Oliveira, Orly Denisse Calle Roalcaba

Resumo


Atualmente existe preocupação em relação aos impactos ambientais provocados pela produção de resíduos sólidos, o que contribui para incrementar as mudanças climáticas já em curso. Ao serem dispostos em aterros sanitários, os resíduos sólidos geram biogás, produto da decomposição anaeróbica dos compostos orgânicos de origem animal ou vegetal. Na presente nota de pesquisa se faz uma estimação da quantidade de biogás e energia gerada da decomposição anaeróbica em um aterro sanitário na cidade de Três Corações, Minas Gerais. Para realizar a estimação dos parâmetros foram utilizados os modelos LandGEM (EPA) e Biogás (Cetesb), que mostraram resultados similares no momento de fazer a comparação, com uma variação de apenas 5% para ambos os modelos. Para o LandGEM, nos 20 anos de vida útil do aterro sanitário, existe uma produção de biogás acumulada de 26.075.960 m3, com uma energia acumulada de 128,68 GWh e potência média de geração de 242 kW. Para o modelo Biogás, a produção acumulada é de 27.476.360 m3, com uma energia acumulada de 141,31 GWh, para uma potência média de geração de 255 kW.

DOI http://dx.doi.org/10.20947/S0102-309820160009


Palavras-chave


Aterro sanitário; Resíduos sólidos urbanos (RSU); Gás de aterro sanitário; Fontes renováveis; Geração de energia; Biogás

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.20947/S0102-309820160009

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



Revista Brasileira de Estudos de População, ISSN 0102-3098 (Impresso) e ISSN 1980-5519 (on-line) 

E-mail: editora@rebep.org.br e secretaria@rebep.org.br 

Financiadores:

 

        

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia