A evolução do emprego no campo

  • George Martine OIT/PNUD
  • Alfonso R. Arias OIT/PNUD

Resumo

Os resultados dos censos demográficos e dos censos agropecuários aparentemente discrepam quanto à importante questão da evolução do emprego no campo. Apesar da melhoria gradual dos instrumentos de coleta e da abertura de ambas as fontes através do tempo, as divergências sobre o nível e o sentido do emprego agropecuário são particularmente notáveis para a década de 70. Esse trabalho se propõe a analisar a origem, a forma e o significado das diferenças entre os dois censos. Nessa primeira parte faz-se uma comparação detalhada entre seus respectivos conceitos, suas metodologias, suas limitações e seus resultados. A comparação retrocede também até os primeiros censos modernos a fim de avaliar a evolução dos instrumentos censitários e sua importância para a captação e compreensão do emprego no campo. Avaliam-se também as PNADs, o Cadastro do INCRA e os dados periódicos do IEA, como fontes complementares de informação sobre esse fenômeno.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2014-02-12
Como Citar
Martine, G., & Arias, A. R. (2014). A evolução do emprego no campo. Revista Brasileira De Estudos De População, 4(2), 39-84. Recuperado de https://rebep.org.br/revista/article/view/586
Seção
Artigos originais