A evolução do emprego no campo - 2ª parte

  • George Martine OIT/PNUD
  • Alfonso R. Arias OIT/PNUD

Resumo

Esta é a segunda parte de um trabalho visando avaliar as aparentes divergências entre os censos agropecuários e demográficos no que se refere à evolução do emprego na atividade agropecuária. Neste segmento, abordam-se especificamente as tendências observadas durante a década de 70, procurando-se reconciliar ou, pelo menos, entender melhor as eventuais discrepâncias. Para tanto, desagregam-se as informações a nível de categoria ocupacional, classes de atividade econômica, região e lugar de residência dos trabalhadores agrícolas. Conclui-se que as principais discrepâncias entre os dois censos refletem uma captação diferenciada das grandes transformações ocorridas recentemente na estrutura de produção agrícola. Não se trata de que uma ou fonte esteja errada, senão de que as características distintivas de cada fonte foram acentuadas com a modernização. Isso é particularmente notável na captação e dimensionamento do emprego temporário e da participação de mulheres e crianças na atividade agropecuária.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2014-02-11
Como Citar
Martine, G., & Arias, A. R. (2014). A evolução do emprego no campo - 2ª parte. Revista Brasileira De Estudos De População, 5(1), 37-70. Recuperado de https://rebep.org.br/revista/article/view/580
Seção
Artigos originais