Keim e parentesco: reflexões sobre uma categoria cultural de colonos teuto-brasileiros

  • Ellen F. Woortmann UnB

Resumo

Neste trabalho, analisa-se a categoria cultural Keim, que pode ser traduzida como "princípio germinativo". Essa categoria classifica pessoas, através de famílias, definindo-as como casáveis e não casáveis, segundo sejam portadoras de um "Keim bom" ou de um "Keim ruim". Nas representações do grupo estudado - colonos de origem alemã no Rio Grande do Sul - o Keim corresponde à "seiva" da árvore genealógica através da qual as famílias se organizam em Casas-tronco. Essa categoria é fundamental para que se entendam as trocas matrimoniais, isto é, as possibilidades de aliança, assim como a endogamia do grupo. Pelos princípios opostos, Keim forte e Keim fraco, os colonos explicam sua decadência atual assim como a redução generalizada do número de filhos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2014-02-11
Como Citar
Woortmann, E. F. (2014). Keim e parentesco: reflexões sobre uma categoria cultural de colonos teuto-brasileiros. Revista Brasileira De Estudos De População, 5(1), 21-35. Recuperado de https://rebep.org.br/revista/article/view/579
Seção
Artigos originais