A imigração internacional e a fecundidade

Maria Stella Ferreira Levy

Resumo


A imigração internacional e a fecundidade. Desde o final do século XIX até cerca de 1930, o fluxo migratório internacional foi intenso para o Brasil, concentrando-se no Estado de São Paulo, em razão da expansão do café. O maior contingente foi de italianos, destacando-se também o de espanhóis, portugueses e japoneses. Dadas as características de região de fronteiras, acredita-se ter havida um aumento das proles de mulheres estrangeiras, conforme descrito por outros autores em relação a estados do sul do pais. A análise das informações disponíveis sobre composição etária e prolificidade de estrangeiras bem como sobre razões de sexo, a nupcialidade permite concluir que o intenso incremento demográfico no Estado de São Paulo deveu-se não só à imigração estrangeiras mas, também, a um aumento da fecundidade das mulheres migrantes. Ao redor de 1940 já ter-se-ia iniciado um processo de declínio da fecundidade, cujo impacto foi minimizado pelo crescente da migração nacional (especialmente de nordestinos) em detrimento da imigração internacional.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



Revista Brasileira de Estudos de População, ISSN 0102-3098 (Impresso) e ISSN 1980-5519 (on-line) 

E-mail: editora@rebep.org.br e secretaria@rebep.org.br 

Financiadores:

 

        

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia