A imigração internacional e a fecundidade

  • Maria Stella Ferreira Levy USP

Resumo

A imigração internacional e a fecundidade. Desde o final do século XIX até cerca de 1930, o fluxo migratório internacional foi intenso para o Brasil, concentrando-se no Estado de São Paulo, em razão da expansão do café. O maior contingente foi de italianos, destacando-se também o de espanhóis, portugueses e japoneses. Dadas as características de região de fronteiras, acredita-se ter havida um aumento das proles de mulheres estrangeiras, conforme descrito por outros autores em relação a estados do sul do pais. A análise das informações disponíveis sobre composição etária e prolificidade de estrangeiras bem como sobre razões de sexo, a nupcialidade permite concluir que o intenso incremento demográfico no Estado de São Paulo deveu-se não só à imigração estrangeiras mas, também, a um aumento da fecundidade das mulheres migrantes. Ao redor de 1940 já ter-se-ia iniciado um processo de declínio da fecundidade, cujo impacto foi minimizado pelo crescente da migração nacional (especialmente de nordestinos) em detrimento da imigração internacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2014-01-14
Como Citar
Levy, M. S. F. (2014). A imigração internacional e a fecundidade. Revista Brasileira De Estudos De População, 8(1/2), 3-19. Recuperado de https://rebep.org.br/revista/article/view/520
Seção
Artigos originais