A compressão do mercado matrimonial e o aumento das uniões consensuais no Brasil

Margaret E. Greene, Vijayendra Rao

Resumo


A compressão do mercado matrimonial e o aumento das uniões consen¬suais no Brasil. No mundo inteiro, como resultado de queda na taxa de mortalidade, as populações passam por períodos de escassez de um sexo ou outro na faixa etária em que o casamento geralmente acontece. As soluções para o problema variam conforme o contexto cultural: em diversas partes do mundo, a redução na diferença entre as idades do marido e da mulher, ou os aumentos no valor dos dotes (índia) e a poliginia (África) são alguns dos mecanismos de restabelecimento do equilíbrio do mercado de casamento. A hipótese deste trabalho é que, no Brasil, por meio de um mecanismo de “reciclagem” dos homens, através do aumento da constituição de uniões informais - extremamente instáveis - é possível a obtenção de um equilíbrio no mercado de casamento. Com dados dos censos das últimas décadas e da PNAD-84, apresenta-se a relação entre a compressão do mercado matrimonial e o aumento do número de casamentos informais. Uma análise de riscos competitivos, para a mulher, das chances de permanência no estado de solteira ou de constituir um casamento formal ou um informal fornece evidências de que a compressão tem afetado tanto a possibilidade de qualquer forma de casamento como o tipo de casamento constituído.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



Revista Brasileira de Estudos de População, ISSN 0102-3098 (Impresso) e ISSN 1980-5519 (on-line) 

E-mail: editora@rebep.org.br e secretaria@rebep.org.br 

Financiadores:

 

        

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia