Esterilização e raça em São Paulo

  • Elza Berquó NEPO/Unicamp e Cebrap

Resumo

Esterilização e raça em São Paulo. Uma visão geral da regulação da fecundidade no Brasil aponta para o uso elevado de métodos anticonceptivos, sendo esses métodos concentrados sobretudo nos hormonais orais e na esterilização feminina. A partir de resultados de pesquisa realizada no Estado de São Paulo sobre Saúde Reprodutiva da Mulher Negra. em 1992, o artigo reafirma não haver diferença estatística entre as taxas de esterilização de mulheres negras e brancas. A pesquisa acrescenta que essa não diferença se mantém mesmo quando se controla essa prática por nível de escolaridade e renda mensal per capita. O artigo mostra, por fim, a existência de uma "cultura" da esterilização, que está igualmente presente entre mulheres negras e brancas.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2014-01-07
Como Citar
Berquó, E. (2014). Esterilização e raça em São Paulo. Revista Brasileira De Estudos De População, 11(1), 19-26. Recuperado de https://rebep.org.br/revista/article/view/479
Seção
Artigos originais