Ecologia social do medo: avaliando a associação entre contexto de bairro e medo de crime

  • Bráulio Figueiredo Alves da Silva UFMG
  • Claudio Chaves Beato Filho UFMG
Palavras-chave: Medo do crime, Crime, Vizinhança, Vitimização, Eficácia coletiva

Resumo

A associação entre características estruturais de vizinhanças e indicadores de crime e desordem tem recebido uma crescente atenção da criminologia nos últimos anos. Recentemente, os estudos têm enfatizado a relação entre as características contextuais das vizinhanças e o medo de crime. Neste artigo, em que o medo do crime é definido como uma reação emocional negativa devido à criminalidade, procurou-se incorporar às características individuais elementos relativos ao contexto da vizinhança na busca por evidências empíricas acerca da sua “ecologia social”. Um modelo estatístico de regressão multinível foi elaborado a partir do survey de Vitimização realizado pelo Centro de Estudos de Criminalidade e Segurança Pública – Crisp/UFMG. Foi encontrada associação positiva entre as mulheres e os mais velhos com medo de crime, enquanto a estabilidade residencial tem efeito inverso. No nível da vizinhança, o principal resultado foi que a coesão social afeta a associação entre a taxa de criminalidade e o medo do crime.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2013-12-30
Como Citar
Silva, B. F. A. da, & Filho, C. C. B. (2013). Ecologia social do medo: avaliando a associação entre contexto de bairro e medo de crime. Revista Brasileira De Estudos De População, 30, S155-S170. Recuperado de https://rebep.org.br/revista/article/view/389
Seção
Artigos originais