Ritmo de declínio nas taxas de mortalidade dos idosos nos estados do Sudeste, 1980-2000

  • Nelson Otávio Beltrão Campos Cedeplar/UFMG
  • Roberto do Nascimento Rodrigues Cedeplar/UFMG
Palavras-chave: Taxas de mortalidade, Idosos, Brasil, Sudeste

Resumo

No Brasil, o processo de envelhecimento da população tem se mostrado muito acelerado, particularmente na região Sudeste. Inicialmente este processo é influenciado pela redução nos níveis de fecundidade, mas, na medida em que esta tendência se consolida, as reduções nas taxas de mortalidade após a idade de 60 anos tornam-se cruciais na determinação do volume e da proporção de idosos. O objetivo do artigo é, pois, examinar o ritmo e o padrão de declínio nas taxas de mortalidade dos idosos nos estados do Sudeste no período 1980-2000. Verifica-se que a queda das taxas foi bastante expressiva, maior para mulheres do que para homens e, além disso, maior para octogenários do que para idosos mais “jovens”. Tais resultados indicam que, no Sudeste, a mortalidade dos idosos esteve longe de um “possível” limite biológico (se é que ele existe). Portanto, o volume e a proporção de idosos nesta região serão determinados cada vez mais pelas reduções nas taxas de mortalidade desses idosos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2013-09-19
Como Citar
Campos, N. O. B., & Rodrigues, R. do N. (2013). Ritmo de declínio nas taxas de mortalidade dos idosos nos estados do Sudeste, 1980-2000. Revista Brasileira De Estudos De População, 21(2), 323-342. Recuperado de https://rebep.org.br/revista/article/view/275
Seção
Artigos originais