Avaliação da qualidade das informações sobre fecundidade provenientes do SINASC no Nordeste, 2000

  • Lára de Melo Barbosa UFRN
  • Geraldo Henrique Nascimento de Melo Universidade Federal de Pernambuco
Palavras-chave: Sistemas de informação, Nascido vivo, Registro de nascimento

Resumo

O objetivo central deste trabalho é avaliar se as informações do Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos – Sinasc, no que se refere à região Nordeste, prestam-se à mensuração dos níveis e padrões da fecundidade. Os resultados apontam subestimação dos níveis da fecundidade pelo Sinasc, compatível com a idéia de não completa implementação do Sistema. Há, por outro lado, evidências que, para algumas áreas, os níveis da fecundidade revelados pelo Sinasc mostram-se similares àqueles obtidos pelos dados censitários. No que se refere aos padrões da fecundidade, as curvas de fecundidade do Sistema apresentam uma estrutura ligeiramente mais rejuvenescida. Os resultados também sugerem a omissão das mulheres com menores níveis de instrução, associada à incompleta implementação do Sinasc, principalmente daquelas que residem em áreas rurais. O quadro delineado neste estudo aponta o Sinasc como uma importante fonte de informações, dada a sua riqueza como provedor de informações demográficas, apesar da necessidade da ampliação de sua cobertura em alguns Estados da Região Nordeste.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2013-09-16
Como Citar
Barbosa, L. de M., & Melo, G. H. N. de. (2013). Avaliação da qualidade das informações sobre fecundidade provenientes do SINASC no Nordeste, 2000. Revista Brasileira De Estudos De População, 22(1), 141-158. Recuperado de https://rebep.org.br/revista/article/view/258
Seção
Artigos originais