Meio ambiente e saúde: metodologia para análise espacial da ocorrência de malária em projetos de assentamento

  • Marcia Caldas de Castro Harvard School of Public Health
  • Burton Herbert Singer Princeton University
Palavras-chave: Malária, Projetos de colonização, Amazônia, Krigagem, Indicadores locais de associação espacial, Modelos de Grade of Membership

Resumo

A transmissão de malária em projetos de assentamento na Amazônia, definida como malária de fronteira, é resultado de um intrincado processo envolvendo fatores biológicos, ecológicos, socioeconômicos e comportamentais, apresentando uma transição temporal de altas a baixas taxas ao longo de aproximadamente oito anos. Como resultado, um dos grandes desafios é a compreensão desse processo, através da identificação das variáveis determinantes da transmissão, considerando-se dimensões temporais e espaciais. Neste artigo é apresentada uma abordagem metodológica que caracteriza perfis de risco de malária em projetos de assentamento, a partir de uma análise multidisciplinar. Composta de três etapas, a abordagem combina análise espacial, geoestatística e modelos de Grade of Membership. Os resultados ressaltam a importância de medidas de controle diferenciadas de acordo com o estágio do projeto de assentamento (implementação recente ou antiga) e o nível de transmissão em cada localidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2013-08-14
Como Citar
Castro, M. C. de, & Singer, B. H. (2013). Meio ambiente e saúde: metodologia para análise espacial da ocorrência de malária em projetos de assentamento. Revista Brasileira De Estudos De População, 24(2), 247-262. Recuperado de https://rebep.org.br/revista/article/view/188
Seção
Artigos originais