Mobilidade populacional, meio ambiente e uso da terra em áreas de fronteira: uma abordagem multiescalar

  • Alisson Flávio Barbieri Universidade Federal de Minas Gerais
Palavras-chave: Mobilidade populacional, Meio ambiente, Uso da terra, Fronteira, Abordagem multiescalar

Resumo

A mobilidade populacional tem sido historicamente um dos mais importantes determinantes próximos do desmatamento e da degradação de recursos naturais em áreas de fronteira. Abordagens analíticas “multiescalares” são particularmente apropriadas para compreender este tipo de relação entre mobilidade populacional, meio ambiente e uso da terra como sendo resultante da operação de fatores em diferentes, porém interconectados, escalas e níveis de análise espaciais e temporais. Entretanto, pouca pesquisa empírica tem sido feita na identificação simultânea de fatores em distintas escalas e níveis que afetam tal relação. Boa parte da literatura privilegia o estudo de dados agregados, dando menor atenção à análise micro (indivíduos e domicílios) e sua evolução no tempo. O foco tem sido o impacto sobre as florestas tropicais, e não necessariamente as condições de vida e a mobilidade das famílias de migrantes que são diretamente responsáveis por grande parte desses impactos. Este artigo discute aspectos teóricos e metodológicos de uma abordagem multiescalar no estudo da relação entre mobilidade populacional, meio ambiente e uso da terra, além de apresentar um exemplo empírico em uma área de colonização agrícola na Amazônia equatoriana.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2013-08-14
Como Citar
Barbieri, A. F. (2013). Mobilidade populacional, meio ambiente e uso da terra em áreas de fronteira: uma abordagem multiescalar. Revista Brasileira De Estudos De População, 24(2), 225-246. Recuperado de https://rebep.org.br/revista/article/view/187
Seção
Artigos originais