As cidades e a classe criativa no Brasil: diferenças espaciais na distribuição de indivíduos qualificados nos municípios brasileiros

  • André Braz Golgher Cedeplar/UFMG
Palavras-chave: Florida, Indicadores de qualificação

Resumo

Partindo da premissa de que estudos regionais devem incorporar aspectos econômicos e culturais conjuntamente e tendo como base empírica os indicadores propostos por Florida, são confeccionados vários indicadores relacionados à distribuição de indivíduos qualificados nos municípios brasileiros. Análises descritivas e a utilização da técnica multivariada de aglomerados mostram que alguns municípios destacam-se com os valores mais elevados para diversos dos indicadores, tais como: São Caetano do Sul (SP), Niterói (RJ) e Florianópolis (SC). Estudos econométricos indicam que municípios com maior população, que são capitais de estado, mais urbanizados, localizados nas regiões Sul, Sudeste ou Centro-Oeste e com maior participação dos setores secundário e terciário na economia tendem a ter maiores proporções de trabalhadores na economia criativa, ou maiores índices de qualificação. A hipótese de Florida, que propõe que locais com atmosfera mais vibrante também apresentam essa tendência, não foi corroborada por esses estudos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2013-08-14
Como Citar
Golgher, A. B. (2013). As cidades e a classe criativa no Brasil: diferenças espaciais na distribuição de indivíduos qualificados nos municípios brasileiros. Revista Brasileira De Estudos De População, 25(1), 109-129. Recuperado de https://rebep.org.br/revista/article/view/177
Seção
Artigos originais