Sobre regimes demográficos restritos: comportamento reprodutivo e cultura familiar entre os ucranianos no meio rural paranaense (1895-1980)

  • Maria Luiza Andreazza Universidade Federal do Paraná
Palavras-chave: Fecundidade, Imigrantes, Sistema familiar, Ucranianos

Resumo

O estudo acompanha a dinâmica familiar de imigrantes originários da área da atual Ucrânia, chegados ao Brasil em 1895 e estabelecidos em área rural do Paraná, na colônia Antonio Olyntho. Dada a alta fecundidade legítima do grupo, nas coortes estabelecidas para o estudo (1895-1949/1950-1980), procurou-se compreender as razões da manutenção de uma descendência final alta ao longo de todo o período analisado (entre 8 e 9 filhos, na primeira coorte, e entre 7 e 8, na segunda) e o que isso implicou em termos de organização social, familiar e doméstica. Disso restou considerar que o comportamento reprodutivo é fruto de um complexo sistema de representações, no qual interagem modos de conceber as relações de gênero e as intergeracionais, bem como o papel do casamento e da constituição domiciliar. Se assim for, as práticas concernentes à fecundidade correspondem, sobremaneira, ao exercício social de uma determinada visão de mundo. Em especial nos grupos que vivem em certo isolamento social, as chances de reproduzir modelos ancestrais de reposição geracional são favorecidas. Entre os imigrantes estudados, quase um século no Brasil foi insuficiente para mudar o sistema familiar que veio em sua bagagem: aqui continuaram a produzir prole extensa, mesmo que para isso tenham ativado uma continuada migração dos filhos excedentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2013-08-13
Como Citar
Andreazza, M. L. (2013). Sobre regimes demográficos restritos: comportamento reprodutivo e cultura familiar entre os ucranianos no meio rural paranaense (1895-1980). Revista Brasileira De Estudos De População, 25(1), 71-89. Recuperado de https://rebep.org.br/revista/article/view/174
Seção
Artigos originais