Migrações sul-sul: a recente onda de imigrantes zimbabweanos em Tete – Moçambique (2007-2016)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20947/S0102-3098a0188

Palavras-chave:

Migrações sul-sul, Imigração, Moçambique, Zimbabwe, Megaprojetos

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar a dinâmica das migrações internacionais sul-sul a partir do estudo de caso da recente imigração de zimbabweanos para a província de Tete, Moçambique, historicamente uma região de emigração. Nesse sentido, examinamos as características sociodemográficas desses novos imigrantes, assim como as condições e motivações individuais, familiares e estruturais subjacentes ao fluxo migratório. Para tanto, combinamos dados quantitativos provenientes do Censo moçambicano de 2007 e dos registros de trabalhadores imigrantes da Direção Provincial de Trabalho, Emprego e Segurança Social, com entrevistas semiestruturadas junto aos imigrantes zimbabweanos em Tete. Os resultados indicam uma multiplicidade de fatores que contribuíram para a recente onda de imigração em Tete, com destaque, além das motivações econômicas e de subsistência familiares, para aspectos sociais e culturais relacionados à longa tradição da mobilidade intrarregional na África Austral, facilitada por fronteiras relativamente porosas e fortes laços culturais, linguísticos e de parentesco. Discutimos, também, como a instalação de megaprojetos de mineração com capital brasileiro, em Tete, contribuiu para torná-la atrativa como destino migratório, num contexto em que se assistiam violentas ondas de xenofobia contra imigrantes na África do Sul, principal destino das migrações na região.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tomás Cebola, Instituto Nacional de Estatística (INE), Tete, Moçambique

Tomás Cebola é mestre em Demografia pelo Departamento de Demografia e Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional (Cedeplar) da Universidade Federal de Minas Gerais (Brasil). Técnico superior de Demografia no Instituto Nacional de Estatística (INE), na Delegação de Tete, Moçambique.

Alisson Barbieri, Departamento de Demografia e Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional (Cedeplar), Universidade Federal de MInas Gerais (UFMG), Belo Horizonte-MG, Brasil

Alisson Barbieri é PhD em City and Regional Planning, University of North Carolina at Chapel Hill (EUA). Professor associado do Departamento de Demografia e pesquisador do Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional (Cedeplar), ambos da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Gisela Zapata, Departamento de Demografia e Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional (Cedeplar), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte-MG, Brasil

Gisela Zapata é PhD em Human Geography, Newcastle University (Reino Unido). Professora adjunta do Departamento de Demografia e pesquisadora do Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional (Cedeplar), ambos da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Referências

AFDB.ORG. Africa and the BRICS: a win-win partnership? African Development Bank Group. 2013. Disponível em: https://blogs.afdb.org/fr/afdb-championing-inclusive-growth-across-africa/post/africa-and-the-brics-a-win-win-partnership-12098 Acesso em: 20 jul. 2021.

BAENINGER, R.; BÓGUS, L. C. M.; MOREIRA, J. L. B.; VEDOVATO, L. S. R.; FERNANDES, D.; SOUZA, M. R. D.; BALTAR, C. U. S.; PERES, R. G. E.; WALDMAN, T. C.; MAGALHÃES, L. S. F. A. Migrações sul-sul. Campinas: Núcleo de Estudos de População “Elza Berquó” (Nepo), Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), 2018.

BAKEWELL, O. South-south migration and human development: reflections on African experiences. United Nations Development Programme, 2009. (Human Development Research Paper, 2009/07).

BETTS, A. Survival migration: failed governance and the crisis of displacement. Ithaca and London: Cornell University Press, 2013.

BILSBORROW, R. Concepts, definitions and data collection approaches. In: WHITE, M. International handbook of migration and population distribution. New York: Springer, 2016. p. 109-156.

BRANCO, L. C. África e a crise no Zimbabwe. Lusíada − Política Internacional e Segurança, n. 1, p. 41-66, 2008.

CASTLES, S. Globalização, transnacionalismo e novos fluxos migratórios. Dos trabalhadores convidados às migrações globais. Trad. Frederico Ágoas. Lisboa: Fim de Século, 2005.

CASTLES, S. Understanding global migration: a social transformation perspective. Journal of Ethnic and Migration Studies, v. 36, p. 1565-1586, 2010.

CEBOLA, T. P. O impacto da Declaração Unilateral da Independência para a economia política da Rodésia e da região, 1965-1980. Monografia de Licenciatura (História) – Faculdade de Letras e Ciências Sociais, Universidade Eduardo Mondlane (UEM), Maputo, 2010.

COLEMAN, D. Immigration and ethnic change in low-fertility countries: a third demographic transition. Population and Development Review, v. 32, p. 401-446, 2006. DOI:10.1111/j.1728-4457.2006.00131.x.

CRESWELL, J. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativos, quantitativos e mistos. Sage, 2010.

DAS NEVES, J. Tete e o trabalho migratório para a Rodésia do Sul, 1890-1913. Arquivo – Boletim do Arquivo Histórico de Moçambique, n. 10, p. 83-103, 1991.

DODSON, B. et al. Gender, migration and remittances in Southern Africa. Waterloo, ON: Southern African Migration Project, 2008. (SAMP Migration Policy Series, n. 49).

DONATO, K.; GABACCIA, D. The global feminization of migration: past, present, and future. Migration Information Source, Jun. 2016.

FAZITO, D. The role of social networks in human migration. Revista Interdisciplinar da Mobilidade Humana (REMHU), n. 17, p. 5-23, 2009.

GAGNON, J.; KHOUDOUR-CASTÉRAS, D. South-south migration in west Africa: addressing the challenge of immigrant integration. OECD Development Centre, 2012 (Working Paper, n. 312).

GARCIA, A. BRICS investment agreements in Africa: more of the same? Studies in Political Economy. A Socialist Review, v. 98, n. 1, p. 24-47, 2017.

GEIGER, M.; PÉCOUD, A. Migration, development and the ‘migration and development nexus’. Population, Space and Place, v. 19, p. 369-374, 2013.

GIORGULI, S. E.; ANGOA, M. A. International migration, gender and family: a miroir from Latin America. In: WHITE, M. International handbook of migration and population distribution. New York: Springer, 2016. p. 543-572.

GLASER, B. G.; STRAUSS, A. L. The discovery of grounded theory: strategies for qualitative research. Chicago: Aldine, 1967.

GUILLON, M. La mosaïque des migrations africaines. Esprit, n. 8-9, août-septembre 2005.

HUGO, G. Environmental concerns and international migration. International Migration Review, v. 30, Special Issue: Ethics, Migration, and Global Stewardship, 1996.

HUMAN RIGHTS WATCH. Bullets for each of you: State-sponsored violence since Zimbabwe’s March 29 elections. June 2008. Disponível em: http://www.hrw.org/reports/2008/zimbabwe0608/index.htm Acesso em: 15 nov. 2017.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA. Resultados definitivos do Censo 2007. INE, 2007.

IOM − International Organization for Migration. World migration report 2018. Geneva, 2017.

JALAL, O. et al. Mode de vie, habitudes alimentaires et identité des immigrants sénégalais au Maroc. In: AFRICAN MIGRATION WORKSHOP. Proceedings […]. Dakar, November 2010.

JORGENSEN, N. V. et al. International migration and household living arrangements among transnational families in Brazil. Journal of Ethnic and Migration Studies, p. 1-19, 2019.

LUMMUMBA-KASONGO, T. China-Africa relations: a neo-imperialism or a neo-colonialism? A reflection. African and Asian Studies, v. 10, n. 2-3, p. 234-266, 2011.

MACKINTOSH, M. O capital privado e o Estado no sistema de transportes da África Austral. Estudos Moçambicanos, n. 5/6, p. 83-128, 1986.

MARQUES, J. C. L. Os portugueses na Suíça: migrantes europeus. Lisboa: Imprensa de Ciências Sociais, 2008.

MINTER, W.; SCHMIDT, E. When sanctions worked; the case of Rhodesia reexamined. African Affairs, v. 87, n. 347, p 207- 237, 1980.

MLAMBO, A. S. Prelude to the 1979 Lancaster House Constitutional Conference on Rhodesia: the role of international economic sanctions reconsidered. Historia, v. 50, n. 1, p. 147-172, May 2005.

MOSCA, J.; SELEMANE, T. El Dourado Tete: os mega projectos de mineração. Maputo: CIP, 2011.

MOSCA, J.; SELEMANE, T. Mega projectos no meio rural, desenvolvimento do território e pobreza: o caso de Tete. Maputo: CIP, 2012.

MUANAMOHA, R. Padrões da migração laboral indocumentada de Moçambique para a África do Sul. CAP/UEM, 2011.

MUANAMOHA, R.; RAIMUNDO, I. M. A dinâmica migratória em Moçambique. In: ARNALDO, C.; CAU, B. M. (org.). Dinâmicas da população e saúde em Moçambique. Maputo: Cepsa, 2013.

OKOLO, A.; AKWU, J. China’s foreign direct investment in Africa’s land: hallmarks of neo-colonialism or South–South cooperation? African Review, v. 8, n. 1, p. 44-59, 2016.

ONU. Migração mundial em números: uma contribuição conjunta do UNDESA e da OCDE para o diálogo de alto nível das Nações Unidas sobre migração e desenvolvimento. OECD-UNDESA, Out. 2013.

PATRÍCIO, G. Moçambique: compulsando as migrações internas e internacionais. InterEspaço. Revista de Geografia e Interdisciplinaridade, v. 2, n. 5, p. 78-101, jan./abr. 2016.

PATRÍCIO, M. Identidade étnica, regional ou transnacional? O caso Ndau. In: XI CONGRESSO LUSO-AFRO-BRASILEIRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS. Anais [...]. Salvador, BA: Centro de Estudos Afro- -Orientais (CEAO), Universidade Federal da Bahia, 2011.

PEIXOTO, J. As teorias explicativas das migrações: teorias micro e macro-sociológicas. Lisboa: Instituto Superior de Economia e Gestão, 2004. (Socius Working Papers, n. 11/2004).

PENDLETON, W. et al. Migration, remittances and development in Southern Africa. Cape Town: Southern African Migration Project, 2006. (Migration Policy Paper Series, v. 44).

RAIMUNDO, I. M. Causas, consequências e padrões da migração internacional de Moçambique: questões emergentes no espaço da lusofonia. Revista Internacional de Língua Portuguesa, III série, n. 24, 2011a.

RAIMUNDO, I. M. Migrações em Moçambique: reflexões sobre uma política de migração. Revista Estudos Moçambicanos, n. 22, 2011b.

RAIMUNDO, I. M. Migração e HIV/SIDA em Moçambique: desafios da região centro de Moçambique. GEOUSP – Espaço e Tempo, São Paulo, n. 29, especial, p. 43-55, 2011c.

RATHA, D.; SHAW, W. South-South migration and remittances. Washington D.C.: Development Prospects Group, World Bank, 2007. (World Bank Working Paper, n. 102).

RICH, T.; RECKER, S. Understanding Sino-African relations: neocolonialism or a new era? Journal of International and Area Studies, v. 20, n. 1, p. 61-76, 2013.

ROBERTS, A. A history of Zambia. London: Heinemann, 1976/1981.

SKELDON, R. Interlinkages between internal and international migration and development in the Asian region. Population, Space and Place, v. 12, n. 1, p. 15-30, 2006.

TOLENTINO, N. C. Migrações, remessas e desenvolvimento: o caso africano. Lisboa: Socius, 2009. (Socius Working Paper, n. 09).

UA − União Africana. Reunião de peritos sobre a migração e desenvolvimento. Argel, 3-5 de abril 2006.

UN-DESA – United Nations, Department of Economic and Social Affairs, Population Division. International migrant stock 2019. United Nations database, POP/DB/MIG/Stock/Rev.2019. New York: United Nations, 2019.

UNDP − United Nations Development Programme. World population prospects: 2019 revision. New York: United Nations Population Division, 2019. Disponível em: https://population.un.org/wpp/

UNHCR − United Nations High Commissioner for Refugees. Global trends: forced displacement in 2018. Geneva: UNHCR, 2019.

ZAGO, E. F. A crise zimbabuana sob as lentes da justiça internacional. Cadernos de Relações Internacionais, v. 2, n. 1, 2009.

ZAPATA, G. P.; GUEDES, G. R. Population mobilities in the twenty-first century: trends, conflicts, and policies N-IUSSP [Online]. International Union for the Scientific Study of Population (IUSSP), 2019.

ZHOU, J.; HE, W. Chinese cooperation in Mozambique and Angola: a focus on agriculture and health. Rio de Janeiro: PUC, BRICS Policy Center, 2014. (BPC Papers, v. 2, n. 3).

Downloads

Publicado

2022-03-07

Como Citar

Cebola, T., Barbieri, A., & Zapata, G. (2022). Migrações sul-sul: a recente onda de imigrantes zimbabweanos em Tete – Moçambique (2007-2016). Revista Brasileira De Estudos De População, 39, 1–26. https://doi.org/10.20947/S0102-3098a0188

Edição

Seção

Artigos originais