Uma periferia, dois centros: o município de Praia Grande no contexto da formação da macrometrópole paulista no começo do século XXI

Palavras-chave: metropolização, expansão urbana, mobilidade populacional, mobilidade residencial, dinâmica socioespacial, Periferia, Migração intrametropolitana, Migração interna

Resumo

O presente estudo tem dois objetivos principais: discutir os impactos, consequências e respostas demográficas do processo de expansão e estruturação de grandes aglomerações urbanas, com especial enfoque no caso do município de Praia Grande/SP na Região Metropolitana da Baixada Santista (RMBS); e examinar, com mais detalhes, as nuances da mobilidade populacional e, em particular, das modalidades migratórias (e suas características), como elementos importantes da peculiar inserção regional do referido município enquanto “periferia simultânea" de duas regiões metropolitanas. A partir do uso exaustivo dos dados censitários, em especial dos Censos Demográficos de 2000 e 2010, analisam-se o crescimento e a expansão territorial de Praia Grande, enfatizando, em nível intramunicipal, o papel das distintas modalidades de migração (intrametropolitana e inter-regional). Além disso, procura-se associá-las a diferentes motivações
a partir de um olhar detalhado para o perfil sociodemográfico dos fluxos estabelecidos. Como principais resultados do trabalho, observou-se que o papel de Praia Grande enquanto área de expansão metropolitana da RMBS se encontra lastreado pelos crescentes fluxos migratórios intrametropolitanos provenientes do polo regional, realidade esta que igualmente pode ser vista em outros contextos metropolitanos. No entanto, enquanto peculiaridade de seu processo de ocupação e inserção regional, parte majoritária dessa migração é originária de fora da RMBS, mais precisamente do município de São Paulo, centro de outra importante área de metropolitana, fato que contribui para caracterizar Praia Grande como uma “periferia com dois centros”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Marcos Pinto da Cunha, Unicamp

José Marcos Pinto da Cunha é demógrafo, doutor em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Professor titular do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas e pesquisador do Núcleo de Estudos de População "Elza Berquó" (Nepo), ambos da Unicamp.

Luiz Antonio Chaves de Farias, Unicamp

Luiz Antonio Chaves de Farias é demógrafo, doutor em Demografia pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e mestre em Geografia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Alberto Augusto Eichman Jakob, Unicamp

Alberto Augusto Eichman Jakob é demógrafo, doutor em Demografia pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Pesquisador do Núcleo de Estudos de População "Elza Berquó" (Nepo) e professor do Programa de Pós-Graduação em Demografia do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, ambos da Unicamp.

Referências

AZZONI, C. R. Indústria e reversão da polarização no Brasil. São Paulo: IPE-USP, 1986 (Ensaios Econômicos, n. 58).

BAENINGER, R. Migrações internas no Brasil século 21: evidências empíricas e desafios conceituais. In: CUNHA, J. P. (org.). Mobilidade espacial da população: desafios teóricos e metodológicos para o seu estudo. Campinas: Núcleo de Estudos de População – Nepo/Unicamp, 2011.

BONDUKI, N. J.; ROLNIK, R. Periferias: a ocupação do espaço e reprodução da força de trabalho. São Paulo: FAU/USP, 1979 (Cadernos de Estudos e Pesquisa, n. 2).

BÓGUS, L. M. Urbanização e metropolização: o caso de São Paulo. In: BÓGUS, L. M.; WANDERLEY, L. E. A luta pela cidade em São Paulo. São Paulo: Cortez, 1992.

BRITO, F. Brasil, final de século: a transição para um novo padrão migratório? In: ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDOS POPULACIONAIS, 12, Caxambu, 2000. Anais [...]. Belo Horizonte: Abep, 2000.

BRITO, F. As migrações internas no Brasil: um ensaio sobre os desafios teóricos recentes. Belo Horizonte: Cedeplar/UFMG, 2009 (Texto para Discussão, n. 366).

CALDEIRA, T. Cidades de muros: crime, segregação e cidadania em São Paulo. São Paulo: Ed. 34-Edusp, 2000.

CASTRO, H. R.; SANTOS JUNIOR, W. R. A expansão da macrometrópole e a criação de novas RMs: um novo rumo para a metropolização institucional de São Paulo. Cadernos Metrópole, São Paulo, v. 19, n. 40, p. 703-720, set./dez. 2017.

FARIAS, L. A. C. Mobilidade populacional e produção do espaço urbano na Baixada Santista: um olhar sociodemográfico sobre sua trajetória nos últimos 20 anos. 2018, 213f. Tese (Doutorado em Demografia) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas, 2018.

COSTA, H. (org.). Novas periferias metropolitanas. A expansão metropolitana em Belo Horizonte: dinâmica e especificidades no Eixo Sul. Belo Horizonte: C/Arte, 2006.

CUNHA, J. M. P. Mobilidade populacional e expansão urbana: o caso da Região Metropolitana de São Paulo. Campinas, SP: Librum Editora, 2015a. (Ebook)

CUNHA, J. M. P. A migração interna no Brasil nos últimos cinquenta anos: (des)continuidades e rupturas. In: ARRETCHE, M. Trajetórias das desigualdades: como o Brasil mudou nos últimoscinquenta anos. São Paulo: Editora Unesp; CEM, 2015b. p. 279-307.

CUNHA, J. M. P.; JAKOB, A. A. E (coord.). Atlas da Região Metropolitana da Baixada Santista. Campinas: Nepo/Unicamp, 2005.

DINIZ, C. C. Desenvolvimento poligonal no Brasil: nem desconcentração nem contínua polarização. Revista Nova Economia, Belo Horizonte, v. 31, n. 11, p. 35-64, set. 1993.

DOTA, E. M. Mobilidade residencial intrametropolitana na RM de Campinas: uma abordagem a partir da distribuição espacial dos migrantes. 2015. 221f. Tese (Doutorado em Demografia) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas, 2015.

DUPONT, V.; PUMAIN, D. De la ciudad compacta a las metrópolis policéntricas. In: DUREAU, F. et al. (coord.). Metrópolis en movimiento. Una comparación internacional. Bogotá, Colombia: Alfaomega, 2002.

FISHMAN, R. Burgeios utopias: visions of suburbia. In: FAINSTEIN, S.; CAMPBELL, S. (ed.) Readings in urban theory. Oxford: Blackwell Publishers, 1966. p. 23-60.

JAKOB, A. A. E. Análise sociodemográfica da constituição do espaço urbano da Região Metropolitana da Baixada Santista no período 1960-2000. 2003. 220f. Tese (Doutorado em Demografia) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas, 2003.

HARVEY, D. Condição pós-moderna. São Paulo: Loyola, 1992.

HARVEY, D. A justiça social e a cidade. São Paulo: Hucitec, 1980.

LEFEBVRE, H. O direito à cidade. São Paulo: Editora Documentos, 1968.

LENCIONI, S. Metropolização do espaço e a constituição de megarregiões. In: FERREIRA, A.; RUA, J.; MATTOS, R. C. de. (org.). Desafios da metropolização do espaço. 1. ed. Rio de Janeiro: Consequência, 2015. p. 35-68.

MARTINE, G. A redistribuição espacial da população brasileira durante a década de 80. Rio de Janeiro: Ipea, 1994 (Texto para Discussão, 329).

MATOS, R. Questões teóricas acerca dos processos de concentração e desconcentração da população no espaço. Revista Brasileira de Estudos de População, Campinas, v. 12, n. 1-2, jan./dez. 1995.

MATTOS, C. A. Redes, nodos e cidades: transformação da metrópole latino-americana. In: RIBEIRO, L. C. Q. (org.). Metrópoles: entre a coesão e a fragmentação, a cooperação e o conflito. São Paulo: Perseu Abramo; Rio de Janeiro: Fase, 2004. p. 157-196.

MATTOS, C. A. Globalización y metamorfosis metropolitana en América Latina: de la ciudad a lo urbano generalizado. Revista de Geografía Norte Grande, Santiago de Chile, n. 10, p. 81-104, 2010.

MOURA, R. Arranjos urbano-regionais no Brasil: uma análise com foco em Curitiba. 2009. Tese (Doutorado em Geografia) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2009.

NAKANO, A. K. Elementos demográficos sobre densidade urbana: São Paulo, uma cidade oca? 2015. 348f. Tese (Doutorado em Demografia) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas, 2015.

OLIVEIRA, H. S. Economia metropolitana e mercado de trabalho: um estudo das regiões metropolitanas do estado de São Paulo. 2009. Tese (Doutorado em Economia) – Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas, 2009.

PINHO, B. A. T. D. População e pobreza: uma análise da Região Metropolitana de Belo Horizonte. 2016. 266f. Tese (Doutorado em Demografia) – Centro em Desenvolvimento e Planejamento Regional (Cedeplar), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, 2016.

REIS FILHO, N. G. Notas sobre urbanização dispersa e novas formas de tecido urbano. São Paulo: Via das Artes, 2006.

RIBEIRO, L. C. Q.; LAGO, L. Reestruturação nas grandes cidades brasileiras: o modelo centro/periferia em questão. Rio de Janeiro: Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional da UFRJ, 1994.

RIGOTTI, J. I. R. Dados censitários e técnicas de análise das migrações no Brasil: avanços e lacunas. In: CUNHA, J. M. P. (org.). Mobilidade espacial da população: desafios teóricos e metodológicos para o seu estudo. Campinas: Nepo/Unicamp, 2011.

SANTOS, A. P. R. Praia Grande no contexto do processo de metropolização da Baixada Santista: mobilidade populacional e diversidade socioespacial. 2008. 166f. Dissertação (Mestrado em Demografia) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de Campinas (IFCH/Unicamp), Campinas, 2008.

ROLNIK, R.; KOWARICK, L.; SOMEKH, N. São Paulo: crise e mudança. São Paulo: Brasiliense, 1990.

SANTOS, M. Metrópole corporativa fragmentada: o caso de São Paulo. São Paulo: Nobel, 1990.

SILVA, E. T. Estrutura urbana e mobilidade espacial nas metrópoles. Rio de Janeiro: Editora Letra Capital, 2013.

SILVA, K. A. A. Novas formas urbanas e o olhar através da demografia: a estruturação da Cidade Região Paulista. 2018. Tese (Doutorado em Demografia) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas (IFCH/Unicamp), Campinas, 2018.

SINGH, J. P.; KUMAR, D. A technical note on index of migration differentials. Genus, Roma, v. 48, n. 1-2, p. 217-221, 1992.

SOBRINO, J. Patrones de dispersión intrametropolitana en México. Estudios Demográficos y Urbanos, v. 22, n. 3, p. 583-617, 2007.

SOUZA, M. A. Cidades médias e desenvolvimento industrial – uma proposta de descentralização metropolitana. São Paulo: Secretaria de Economia e Planejamento do Estado de São Paulo, 1978. (Série Estudos e Pesquisas, 17).

SPOSITO, M. E. B. Segregação socioespacial e centralidade urbana. In: VASCONCELOS, P. A.; CORRÊA, R. L.; PINTAUDI, S. M. (org.). A cidade contemporânea: segregação espacial. São Paulo: Contexto, 2013. p. 61-93.

TASCHNER, S. P.; BOGUS, L. M. M. A cidade dos anéis: São Paulo. In: RIBEIRO, L. C. Q. (org.). O futuro das metrópoles: desigualdades e governabilidade. Rio de Janeiro: Revan, 2000.

VILLAÇA, F. Espaço intraurbano no Brasil. São Paulo: Studio Nobel; Fapesp; Lincoln Institute, 1998.

Publicado
2020-05-29
Como Citar
Marcos Pinto da Cunha, J., Antonio Chaves de Farias, L., & Augusto Eichman Jakob, A. (2020). Uma periferia, dois centros: o município de Praia Grande no contexto da formação da macrometrópole paulista no começo do século XXI. Revista Brasileira De Estudos De População, 37, 1-28. https://doi.org/10.20947/S0102-3098a0112
Seção
Artigos originais