Análise da linha de cuidado para pacientes com diabetes mellitus e hipertensão arterial: a experiência de um município de pequeno porte no Brasil

  • Monica Viegas Andrade https://orcid.org/0000-0002-6821-1598
  • Kenya Noronha
  • Cláudia Di Lorenzo Oliveira
  • Clareci Silva Cardoso
  • Júlia Almeida Calazans CEDEPLAR/UFMG
  • Nayara Abreu Julião
  • Aline de Souza
  • Patrícia Aguiar Tavares
Palavras-chave: condições crônicas, estudos de coorte, atenção primária à saúde

Resumo

O artigo avalia a linha de cuidado de uma coorte de 260 indivíduos com diabetes mellitus e 295 indivíduos com hipertensão arterial sistêmica antes, durante e após a implantação do Laboratório de Inovações na Atenção às Condições Crônicas (LIACC). Essa intervenção buscou fortalecer a atenção primária à saúde, implantando o modelo de atenção às condições crônicas no município de Santo Antônio do Monte, Minas Gerais, Brasil, entre 2013 e 2014. Trata-se de um estudo observacional longitudinal que utiliza informações clínicas e laboratoriais dos prontuários dos pacientes dessas duas condições crônicas entre 2012 e 2017. Os desfechos avaliados foram baseados nas linhas guias da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais.
Os resultados evidenciam o LIACC associado à universalização de macroprocessos da atenção primária, como o cadastramento e a classificação do risco familiar. Para pacientes com diabetes houve melhora em diversos marcadores no período, como o aumento da realização de consulta (de 90% em 2012 para 92% em 2017) e diminuição dos pacientes com exames fora das faixas de normalidade. Já para indivíduos com hipertensão, mesmo sendo observado um crescimento acentuado da realização de consultas (de 80% em 2012 para 84% em 2017), as melhorias clínicas foram menos evidentes. Conclui-se que o LIACC se configura como uma promissora intervenção para a melhoria do manejo de pacientes com doenças crônicas na atenção primária à saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANDRADE, M. V. et al. Avaliação do laboratório de inovações no cuidado das condições crônicas na atenção primária à saúde de Santo Antônio do Monte. Belo Horizonte: Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional (Cedeplar), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), 2017. (Texto para Discussão, n. 552).

ANDRADE, M. V. et al. Challenges and lessons from a primary care intervention in a Brazilian municipality. Revista de Saúde Pública (online), v. 53, p. 45, 2019.

BAHIA, L. R. et al. The costs of type 2 diabetes mellitus outpatient care in the Brazilian public health system. Value in Health, v. 14, n. 5, p. S137-S140, 2011.

BELTRÁN-SÁNCHEZ, H. et al. Links between socio-economic circumstances and changes in smoking behavior in the Mexican population: 2002-2010. Journal of Cross-Cultural Gerontology, v. 28, n. 3, p. 339-358, 2013.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Análise de Situação de Saúde. Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT) no Brasil 2011-2022. Brasília: Ministério da Saúde, 2011.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 4279, de 30 de dezembro de 2010. Estabelece diretrizes para a organização da Rede de Atenção à Saúde no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Brasília, 2010.

BRASIL. Ministério da Saúde. Diretrizes para o cuidado das pessoas com doenças crônicas nas redes de atenção à saúde e nas linhas de cuidado prioritárias. Brasília: Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica, 2013.

CANUDAS-ROMO, V.; GARCÍA-GUERRERO, V. M.; ECHARRI-CÁNOVAS, C. J. The stagnation of the Mexican male life expectancy in the first decade of the 21st century: the impact of homicides and diabetes mellitus. Journal of Epidemiology & Community Health, v. 69, n. 1, p. 28-34, 2015.

COELI, C. M. et al. Mortalidade em idosos por diabetes mellitus como causa básica e associada. Revista de Saúde Pública, v. 36, p. 135-140, 2002.

CONASS – Conselho Nacional de Secretários de Saúde. Planificação da Atenção à Saúde. 2018. Disponível em: https://www.conass.org.br/planificacao-da-atencao-saude/. Acesso em: 27 out. 2019.

CONDE, W. L.; MONTEIRO, C. A. Nutrition transition and double burden of undernutrition and excess of weight in Brazil. The American Journal of Clinical Nutrition, v. 100, n. 6, p. 1617S-1622S, 2014.

COOPER, J. G. et al. Quality of care for patients with type 2 diabetes in primary care in Norway is improving: results of cross-sectional surveys of 33 general practices in 1995 and 2005. Diabetes Care, v. 32, n. 1, p. 81-83, 2009.

COSTA, A. F. et al. Carga do diabetes mellitus tipo 2 no Brasil. Cadernos de Saúde Pública, v. 33, p. e00197915, 2017.

COSTA, K. C.; CAZOLA, L. H. O.; TAMAKI, E. M. Assessment of Chronic Illness Care (ACIC): avaliação da aplicabilidade e resultados. Saúde em Debate, v. 40, p. 106-117, 2016.

CROWLEY, M. J. et al. Tailored case management for diabetes and hypertension (TEACH-DM) in a community population: study design and baseline sample characteristics. Contemporary Clinical Trials, v. 36, n. 1, p. 298-306, 2013.

DE ALMEIDA-PITITTO, B. et al. Type 2 diabetes in Brazil: epidemiology and management. Diabetes, Metabolic Syndrome and Obesity: Targets and Therapy, v. 8, p. 17, 2015.

DE CASTRO MOREIRA, L. M. et al. Políticas públicas voltadas para a redução da mortalidade infantil: uma história de desafios. Revista Médica de Minas Gerais, v. 22, supl. 7, p. S48-S55, 2012.

EVANGELISTA, M. J. O. et al. O planejamento e a construção das redes de atenção à saúde no DF, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, v. 24, n. 6, p. 2115-2124, 2019.

FERTONANI, H. P. et al. Modelo assistencial em saúde: conceitos e desafios para a atenção básica brasileira. Ciência & Saúde Coletiva, v. 20, n. 6, p. 1869-1878, 2015.

FONTBONNE, A. et al. Risk factor control in hypertensive and diabetic subjects attended by the Family Health Strategy in the State of Pernambuco, Brazil: the SERVIDIAH study. Cadernos de Saúde Pública, v. 29, n. 6, p. 1195-1204, 2013.

GILMER, T. P. et al. Cost-effectiveness of diabetes case management for low income populations. Health Services Research, v. 42, n. 5, p. 1943-1959, 2007.

HOERGER, T. J. et al. Cost-effectiveness of intensive glycemic control, intensified hypertension control, and serum cholesterol level reduction for type 2 diabetes. Jama-Journal of the American Medical Association, v. 287, n. 19, p. 2542-2551, 2002.

HORIUCHI, S. Epidemiological transitions in human history. Health and mortality: issues of global concern. Proceedings of the Symposium on Health and Mortality, Brussels, 19-22 November 1997. New York: United Nations, Department of Economic and Social Affairs, Population Division, 1999. p. 54-71.

HUQUE, R. et al. Integrating a diabetes and hypertension case management package within primary health care: a mixed methods feasibility study in Bangladesh. BMC Health Services Research, v. 18, n. 1, p. 811, 2018.

KLAFKE, A. et al. Mortalidade por complicações agudas do diabetes melito no Brasil, 2006-2010. Epidemiologia e Serviços de Saúde, v. 23, n. 3, p. 455-462, 2014.

KREIN, S. L. et al. Case management for patients with poorly controlled diabetes: a randomized trial. The American Journal of Medicine, v. 116, n. 11, p. 732-739, 2004.

LOBO, L. A. C. et al. Tendência temporal da prevalência de hipertensão arterial sistêmica no Brasil. Cadernos de Saúde Pública, v. 33, p. e00035316, 2017.

LUNA, R. L.; LUNA, L. C. Estaria a pressão diastólica perdendo sua utilidade na clínica? Arquivos Brasileiros de Cardiologia, v. 89, n. 3, p. e19-e21, 2007.

LV, Y. Y. et al. Evaluation on the case management program of hypertension in Zhongguancun community, Beijing. Zhonghua liu xing bing xue za zhi = Zhonghua liuxingbingxue zazhi, v. 26, n. 6, p. 400-403, 2005.

MALFATTI, C. R. M.; ASSUNÇÃO, A. N. Hipertensão arterial e diabetes na Estratégia de Saúde da Família: uma análise da frequência de acompanhamento pelas equipes de Saúde da Família. Ciência & Saúde Coletiva, v. 16, supl. 1, p. 1383-1388, 2011.

MALTA, D. C.; MERHY, E. E. O percurso da linha do cuidado sob a perspectiva das doenças crônicas não transmissíveis. Interface – Comunicação, Saúde, Educação, v. 14, n. 34, p. 593-606, 2010.

MALTA, D. C. et al. Fatores de risco relacionados à carga global de doença do Brasil e Unidades Federadas, 2015. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 20, supl. 1, p. 217-232, 2017.

MEIRELES, L. A. et al. Linha-guia de hipertensão arterial sistêmica, diabetes mellitus e doença renal crônica. Belo Horizonte: Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais: Autêntica Editora, 2013.

MENDES, E. V. As redes de atenção à saúde. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde, 2011.

MENDES, E. V. O cuidado das condições crônicas na atenção primária à saúde: o imperativo da consolidação da estratégia da saúde da família. Brasília: Organização Pan-Americana de Saúde Pública, Organização Mundial da Saúde, Conselho Nacional de Secretários de Saúde, 2012.

MENDES, E. V. Entrevista. Consensus – Revista do Conselho Nacional de Secretários de Saúde, ano VI, n. 20, p. 6-17, jul./set. 2016. Disponível em: https://www.conass.org.br/biblioteca/pdf/revistaconsensus_20.pdf. Acesso em: 27 out. 2019.

MENDES, E. V. The care for chronic conditions in primary health care. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, v. 31, n. 2, p. 1-3, 2018.

MENDES, E. V. et al. Integrated care in the unified health system of Brazil: the laboratory for innovation in chronic conditions in Santo Antônio do Monte. International Journal of Healthcare Management, v. 12, n. 2, p. 116-122, 2019.

MOYSÉS, S. T. et al. Laboratório de inovações no cuidado das condições crônicas na APS: a implantação do Modelo de Atenção às Condições Crônicas na UBS Alvorada em Curitiba. Paraná, 2013.

NORRIS, S. L. et al. The effectiveness of disease and case management for people with diabetes: a systematic review. American Journal of Preventive Medicine, v. 22, n. 4, p. 15-38, 2002.

POBLETE, F. et al. Efectividad de un modelo de manejo de pacientes con hipertensión y diabetes tipo II en atención primaria. Revista Médica de Chile, v. 146, n. 11, p. 1269-1277, 2018.

POPKIN, B. M.; ADAIR, L. S.; NG, S. W. Global nutrition transition and the pandemic of obesity in developing countries. Nutrition Reviews, v. 70, n. 1, p. 3-21, 2012.

PRUITT, S. Innovative care for chronic conditions: building blocks for action: global report. World Health Organization, 2002.

ROSA, R. S. et al. Internações por diabetes mellitus como diagnóstico principal na rede pública do Brasil, 1999-2001. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 10, n. 4, p. 465-478, 2007.

RIBEIRO, M. A. et al. Organização do cuidado às condições crônicas na atenção primária à saúde de Sobral-CE: avaliação de processo na perspectiva de gestores. APS em Revista, v. 1, n. 1, p. 29-38, 2019.

SAFAR, M. Therapeutic trials and large arteries in hypertension. American Heart Journal, v. 115, n. 3, p. 702-710, 1988.

SARTORELLI, D. S.; FRANCO, L. J. Tendências do diabetes mellitus no Brasil: o papel da transição nutricional. Cadernos de Saúde Pública, v. 19, supl. 1, p. S29-S36, 2003.

SILVEIRA, J. A. A. et al. Características da assistência à saúde a pessoas com diabetes mellitus acompanhadas na Unidade de Saúde da Família Pedregal II em Cuiabá, MT: reflexões para a equipe de saúde. O Mundo da Saúde, v. 34, n. 1, p. 43-49, 2010.

SCHMIDT, M. I. et al. Chronic non-communicable diseases in Brazil: burden and current challenges. The Lancet, v. 377, n. 9781, p. 1949-1961, 2011.

TASCA, R. et al. Laboratórios de inovação em saúde: por uma Atenção Primária à Saúde forte no Distrito Federal, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, v. 24, n. 6, p. 2021-2030, 2019.

UK PROSPECTIVE DIABETES STUDY GROUP et al. Tight blood pressure control and risk of macrovascular and microvascular complications in type 2 diabetes: UKPDS 38. The BMJ: British Medical Journal, v. 317, n. 7160, p. 703, 1998.

VENANCIO, S. I.; ROSA, T. E. C.; BERSUSA, A. A. S. Atenção integral à hipertensão arterial e diabetes mellitus: implementação da linha de cuidado em uma Região de Saúde do estado de São Paulo, Brasil. Physis: Revista de Saúde Coletiva, v. 26, n. 1, p. 113-135, 2016.

VIEIRA, P. L. et al. Valores de LDL-colesterol estimados pela equação de Friedewald são afetados pelo controle do diabetes. International Journal of Cardiovascular Sciences, v. 29, n. 5, p. f: 348-l: 354, 2016.

Publicado
2019-12-26
Como Citar
Viegas Andrade, M., Noronha, K., Di Lorenzo Oliveira, C., Silva Cardoso, C., Almeida Calazans, J., Abreu Julião, N., de Souza, A., & Aguiar Tavares, P. (2019). Análise da linha de cuidado para pacientes com diabetes mellitus e hipertensão arterial: a experiência de um município de pequeno porte no Brasil. Revista Brasileira De Estudos De População, 36, 1-21. https://doi.org/10.20947/s0102-3098a0104
Seção
Artigos originais