Desejo por filhos entre mulheres de alta escolaridade: conflitos, mudanças e permanências

Palavras-chave: Maternidade, Mudanças e permanências, Desejo por filhos, Alta escolaridade, Métodos qualitativos

Resumo

Este trabalho analisa as percepções e os significados da maternidade para um grupo de mulheres de alta escolaridade, casadas ou em união consensual, com no máximo um filho, residentes em um município mineiro de porte médio. Os dados provêm de 16 entrevistas semiestruturadas, realizadas em 2018 no município de Governador Valadares, MG. Os resultados indicam que, embora a maternidade seja um acontecimento desejado e valorizado, a decisão dessas mulheres não é isenta de dúvidas em relação às dificuldades para conciliar um filho com o desejo de liberdade e crescimento profissional. Essas dúvidas decorrem do fato de a maternidade ainda ter um lugar de destaque na vida das mulheres, mesmo entre um grupo de vanguarda, e se tornar mãe permanece tendo um efeito expressivo em suas vidas. Os conflitos gerados pela concomitância entre a permanência do desejo relacionado à maternidade e a emergência de novos projetos individuais apresentados às mulheres desafiam a lógica tradicional que relaciona escolaridade e projetos reprodutivos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andrea Branco Simão, Cedeplar/UFMG

Andrea Branco Simão é doutora em Demografia, mestre em Sociologia e graduada em Serviço Social. Assistente social da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e pesquisadora e professora voluntária do Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional (Cedeplar/UFMG).

Raquel Zanatta Coutinho, Cedeplar/UFMG

Raquel Zanatta Coutinho é doutora em Sociologia, mestre em Demografia e em Sociologia e graduada em Comunicação Social. Professora adjunta do Departamento de Demografia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e pesquisadora do Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional (Cedeplar/UFMG).

Gilvan Ramalho Guedes, Cedeplar/UFMG

Gilvan Ramalho Guedes é doutor em Demografia, especialista em Finanças e graduado em Economia. Professor adjunto do Departamento de Demografia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e pesquisador do Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional (Cedeplar/UFMG). Coordenador do Epopea/UFMG e da Sub-rede Cidade e Urbanização da Rede Clima.

Referências

ADSERÀ, A. Fertility, feminism, and faith: the influence of secularism and economic conditions. In: KAUFMANN, E.; WILCOX, W. B. (ed.). Whither the child? Causes and consequences of low fertility. Boulder, CO: Paradigm, 2015. p. 1-28.

AGRILLO, C.; NELINI; C. Childfree by choice: a review. Journal of Cultural Geography, v. 25, n. 3, p. 347-363, 2008. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1080/08873630802476292. Acesso em: set. 2018.

ALVES, de C. A.; WONG, L. L. R.; MIRANDA-RIBEIRO, P. Discrepant fertility in Brazil. Revista Latinoamericana de Población, v. 10, n. 18, p. 83-105, 2016. Disponível em: https://doi.org/10.31406/relap2016.v10.i1.n18.4

ALVES, J. E. D.; CAVENAGHI, S. M. Timing of childbearing in below replacement fertility regimes: how and why Brazil is different. In: XXVI IUSSP INTERNATIONAL POPULATION CONFERENCE. Proceedings [...]. Marrakesh, Marrocos, 27 de setembro a 2 de outubro de 2009. Disponível em: https://iussp2009.princeton.edu/papers/92527. Acesso em: dez. 2018.

ALVES, J. E. D.; CAVENAGHI, S. M.; BARROS, L. F. W. A família Dinc no Brasil: algumas características sócio-demográficas. Rio de Janeiro: IBGE. Escola Nacional de Ciências Estatísticas, 2010. (Textos para Discussão, 30).

ARAUJO, C.; PICANÇO, F.; CANO, I.; VEIGA, A. Evolução das percepções de gênero, trabalho e família no Brasil: 2003-2016. In: ARAUJO, C.; GAMA, A.; PICANÇO, F.; CANO, I. Gênero, família e trabalho no Brasil do século XXI – mudanças e permanências. 1. ed. Rio de Janeiro: Gramma, 2018.

ATTRIDE-STIRLING, J. Thematic networks: an analytic tool for qualitative research. Qualitative Research, v. 1, n. 3, p. 385-405, 2001.

AZEVEDO, R. A. de. “Amo meu filho, mas odeio ser mãe”. Reflexões sobre a ambivalência na maternidade contemporânea. 2017. 33f. Monografia (Curso de Especialização em Psicologia – Ênfase em Infância e Família: Avaliação, Prevenção e Intervenção) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, 2017. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/163940/001025591.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: jul. 2020.

BADINTER, E. Um amor conquistador: o mito do amor materno. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985.

BARRO, R. J.; BECKER, G. S. Fertility choice in a model of economic growth. Econometrica: Journal of the Econometric Society, v. 57, n. 2, p. 481-501, 1989.

BASU, A. M. Why does education lead to lower fertility? A critical review of some of the possibilities. World Development, v. 30, n. 10, p. 1779-1790, 2002. Disponível em: https://reader.elsevier.com/reader/sd/pii/S0305750X02000724?token=28B060F47C4F866E473FA63DD1BA858C7C521063A721DED3248601B89ED32DBD70EC6ED0D791B47CE641278C974DC3A9. Acesso em jun. 2019.

BECKER, G. S. Fertility and the economy. Journal of Population Economics, v. 5, n. 3, p. 185-201, 1992.

BELTRÃO, K. I.; ALVES, J. E. D. A reversão do hiato de gênero na educação brasileira no século XX. Cadernos de Pesquisa, v. 39, n. 136, p. 125-156, jan./abr. 2009.

BERNARDI, D.; FÉRES-CARNEIRO, T.; MAGALHÃES, A. S. Entre o desejo e a decisão: a escolha por ter filhos na atualidade. Contextos Clínicos, v. 11, n. 2, p. 161-173, maio/ago. 2018.

BERQUÓ, E.; CAVENAGHI, S. Fecundidade em declínio: breve nota sobre a redução no número médio de filhos por mulher no Brasil. Novos Estudos, São Paulo, n. 74, p. 11-15, mar. 2006. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-33002006000100001&lng=en&nrm=iso. Acesso em: set. 2018.

BERQUO, E.; CAVENAGHI, S. M. Notas sobre os diferenciais educacionais e econômicos da fecundidade no Brasil. Revista Brasileira de Estudos de População, São Paulo, v. 31, n. 2, p. 471-482, jul./dez. 2014 . Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-30982014000200012&lng=en&nrm=iso. Acesso em: jul. 2019.

BERQUÓ, E.; GARCIA, S. Algumas considerações sobre a reprodução tardia no Brasil. In: TURRA,C. M.; CUNHA, J. M. P. da (org.). População e desenvolvimento em debate: contribuições da Associação Brasileira de Estudos Populacionais. Belo Horizonte: Abep, 2012. p. 135-140. (Demografia em Debate, v. 4).

BLACKBURN, K.; CIPRIANI, G. P. Intergenerational transfers and demographic transition. Journal of Development Economics, v. 78, n. 1, p. 191-214, 2005.

BORGES, D. Em nome pai, da mãe e do “Espírito Santo”: arranjos familiares e religião do Brasil cotemporâneo. In: ARAUJO, C.; GAMA, A.; PICANÇO, F.; CANO, I. Gênero, família e trabalho no Brasil do século XXI – mudanças e permanências. 1. ed. Rio de Janeiro: Gramma, 2018.

CALDWELL, J. C. On net intergenerational wealth flows: an update. Population and Development Review, v. 31, n. 4, p. 721-740, 2005.

CAMARANO, A.; ARAÚJO, H. E.; CARNEIRO, I. G. Tendências da fecundidade brasileira no século XX: uma visão regional. In: GIFFIN, K.; COSTA, S. H. (org.). Questões de saúde reprodutiva. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 1999. p. 95-111.

CARVALHO, A. A.; VERONA, A. P. de A. Religião e fecundidade: uma análise do nível e padrão de fecundidade segundo grupos religiosos no Brasil em 2006. Revista de Estudos de Teologia e Ciências da Religião, v. 12, p. 1086-1113, 2014. Disponível em: http://periodicos.pucminas.br/index.php/horizonte/article/view/P.2175-5841.2014v12n36p1086/7519. Acesso em: set. 2018.

COUTINHO, R. Z. Uma agenda inacabada: monitorando os avanços e desafios dos direitos reprodutivos. Revista Brasileira de Estudos de População, v. 33, n. 1, p. 207-2014, 2016.

ESTEVE, A.; FLOREZ-PAREDES, E. The stability paradox: why expansion of women’s education has not delayed early union formation or childbearing in Latin America. Studies in Family Planning, v. 49, n. 2, p. 127-142, 2018. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1111/sifp.12055. Acesso em: out. 2019.

FJP – Fundação João Pinheiro. Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil. Belo Horizonte: Fundação João Pinheiro, 2013. Disponível em: http://atlasbrasil.org.br/2013/pt/perfil_m/governador-valadares_mg. Acesso em: dez. 2018.

FUJIWARA, J. C. A. M. Mulheres sem filhos no Brasil: uma análise de características socioeconômicas e demográficas, razões e repercussões. 2018. 194f. Tese (Doutorado em Demografia) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas, 2018.

GAMA, A.; SORJ, B.; ROMERO, K.; VEIGA, A. Tensões entre trabalho e família – recomposições na divisão sexual do trabalho. In: ARAÚJO, C.; GAMA, A.; PICANÇO, F.; CANO, I. (org.). Gênero, família e trabalho no Brasil do século XXI – mudanças e permanências. 1. ed. Rio de Janeiro: Gramma, 2018. p. 83-113.

GIDDENS, A. The consequences of modernity. Stanford: Stanford University Press, 1990.

GIDDENS, A. A transformação da intimidade: sexualidade, amor e erotismo nas sociedades modernas. São Paulo: Unesp, 1993.

GUEDES, M. de C. A presença feminina nos cursos universitários e nas pós-graduações: desconstruindo a ideia da universidade como espaço masculino. História, Ciências, Saúde-Manguinhos, v. 15, suplemento, p. 117-132, jun. 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-59702008000500006. Acesso em: set. 2018.

GUEDES, M. de C. Escolaridade e gênero: percepções mais igualitárias? In: ARAÚJO, C.; GAMA, A.; PICANÇO, F.; CANO, I. (org.). Gênero, família e trabalho no Brasil do século XXI – mudanças e permanências. 1. ed. Rio de Janeiro: Gramma, 2018. p. 115-128.

GUIGINSKI, J. T.; WAJNMAN, S. A penalidade pela maternidade: participação e qualidade da inserção das mulheres com filhos no mercado de trabalho. Revista Brasileira de Estudos de População, v. 36, p. 1-26, e0090, 2019.

GUIMARÃES, F. C. M. Caleidoscopicamente mulher: dilemas e desafios contemporâneos. Dissertação. 2010. 146f. (Mestrado em Psicologia) – Departamento de Psicologia Clínica do Instituto de Psicologia da Universidade de Brasília, Brasília, 2010.

HAMMETT, D.; TWYMAN, C.; GRAHAN, M. Research and fieldwork in development. New York: Routledge, 2015.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Síntese de indicadores sociais: uma análise das condições de vida da população brasileira: 2017. Rio de Janeiro: Coordenação de População e Indicadores Sociais, 2017. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101459.pdf. Acesso em: dez. 2018.

JORGENSEN, N.; BARBIERI, A. F.; GUEDES, G. R.; ZAPATA, G. International migration and household living arrangements among transnational families in Brazil. Journal of Ethnic and Migration Studies, 2020 (no prelo).

KOHLER, H. Do children bring happiness and purpose in life? In: KAUFMANN, E.; WILCOX, W. B. Whither the child? Causes and consequences of low fertility. New York: Routledge, 2016. cap. 3.

LANEY, E. K.; HALL, M. E. L.; ANDERSON, T. L.; WILLINGHAM, M. M. Becoming a mother: the influence of motherhood on women’s identity development. Identity: an International Journal of Theory and Research, v. 15, p. 126-145, 2015.

LEOCÁDIO, V. A. Childlessness no Brasil: a contribuição das mudanças sociodemográficas para a tendência de zero filho. 2018. Dissertação (Mestrado em Demografia) – Cedeplar/Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2018.

LESTHAEGHE, R. The second demographic transition: a concise overview of its development. PNAS, v. 111, n. 51, p. 18112-18115, Dec. 2014. Disponível em: https://www.pnas.org/content/111/51/18112/tab-figures-data. Acesso em: out. 2018.

LESTHAEGHE, R.; VAN DE KAA, D. Twee demografische transities? [Two demographic transitions?]. In: LESTHAEGHE, R.; VAN DE KAA, D. (ed.). Bevolking: groei en krimp (Mens en Maatschappij). Deventer, The Netherlands: Dutch, 1986. p. 9-24.

LESTHAEGHE, R.; SURKYN, J. Cultural dynamics and economic theories of fertility change. Population and Development Review, v. 14, n. 1, p. 1-45, 1988.

MA, X.; PIAO, X. Income, intra-household bargaining power and the happiness of Japanese married women. Quality of life in Japan. Singapore: Springer, 2020. p. 77-106.

MACHADO, J. S. de A.; PENNA, C. M. de M.; CALEIRO, R. C. L. Cinderela de sapatinho quebrado: maternidade, não maternidade e maternagem nas histórias contadas pelas mulheres. Saúde em Debate, v. 43, n. 123, p. 1120-1131, out./dez. 2019. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0103-1104201912311. Acesso em: 26 jul. 2020.

MANSUR, L. H. B. Experiências de mulheres sem filhos: a mulher singular no plural. Psicologia: ciência e profissão, v. 23, n. 4, p. 2-11, 2003.

MARTELETO, L.; GUEDES, G. R.; WEITZMAN, A.; COUTINHO, R. Z. Life births and fertility amidst the zika epidemic in Brazil. Demography, v. 57, p. 843-872, 2020.

MCQUILLAN, J.; GREIL, A. L.; SCHEFFLER, K. M.; TICHENOR, V. The importance of motherhood among women in the contemporary United States. Gender & Society: official publication of Sociologists for Women in Society, v. 22, n. 4, p. 477-496, 2008.

MIKUCKA, M.; RIZZI, E. The parenthood and happiness link: testing predictions from five theories. European Journal of Population, v. 36, n. 1, p. 1-25, 2019.

MIRANDA-RIBEIRO, P.; POTTER, J. E. Sobre “se perder”, “vacilar” e não “encontrar o homem certo”: mudanças ideacionais, instituições e a fecundidade abaixo do nível de reposição. Revista Brasileira de Estudos de População, São Paulo, v. 27, n. 1, p. 227-231, jan./jun. 2010. Disponível em: https://www.rebep.org.br/revista/issue/view/46. Acesso em: set. 2018.

MIRANDA-RIBEIRO, A.; GARCIA, R. A.; FARIA, T. C. de A. B. Baixa fecundidade e adiamento do primeiro filho no Brasil. Revista Brasileira de Estudos de População, v. 36, p. 1-18, 2019.

MORGAN, S. P.; KING; R. B. Three reasons why demographers should pay attention to evolutionary theories and behaviour genetics in the analysis of contemporary fertility. European Journal of Population / Revue Européenne de Démographie, v. 17, n. 1, p. 31-35, 2001.

MYRSKYLÄ, M.; MARGOLIS, R. Happiness: before and after the kids. Demography, v. 51, n. 5, p. 1843-1866, 2014.

ODENWELLER, K. G.; RITTENOUR, C. E. Stereotypes of stay-at-home and working mothers. Southern Communication Journal, v. 82, n. 2, p. 57-72, 2017. DOI: https://doi.org/10.1080/1041794X.2017.1287214. Acesso em: jul. 2020.

RIOS-NETO, E. L. G.; GUIMARÃES; R. R. de M. The educational gradient of low fertility in Latin America. In: ANNUAL MEETING OF POPULATION ASSOCIATION OF AMERICA. Proceedings […]. Boston, 2014.

ROCHA-COUTINHO, M. L. Variações sobre um antigo tema: a maternidade para as mulheres. In: KUHN, J. Família e casal: efeitos da contemporaneidade. Rio de Janeiro: PUC, 2005. p. 122-137.

SCAVONE, L. Motherhood: transformation in the family and in gender relations. Interface – Comunicação, Saúde, Educação, v. 5, n. 8, p. 47-60, 2001. Disponível em: https://www.scielosp.org/pdf/icse/2001.v5n8/47-59/pt. Acesso em: dez. 2018.

TRINDADE, Z. A.; COUTINHO, S. M. S.; CORTEZ; M. B. Ainda é proibido não ser mãe? A não maternidade tratada nas publicações científicas de psicologia. In: ZANELLO, V.; PORTO, M. (org.). Aborto e (não) desejo de maternidade(s): questões para a psicologia. Brasília: Conselho Federal de Psicologia, 2016.

VAN DE KAA, D. J. Europe’s second demographic transition. Population Bulletin, v. 42, n. 1, p. 59, março 1987.

VELHO, G. Projeto e metamorfose: antropologia das sociedades complexas. 3. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003.

VIEIRA, J. M. Diferenciais na fecundidade brasileira segundo a natureza da união: algumas reflexões sobre decisões reprodutivas e a prática de morar junto. Campinas, SP: Núcleo de Estudos de População “Elza Berquó” / Unicamp, 2016. (Textos Nepo, 76).

VISINTIN, C. N.; AIELLO-VAISBGERG, T. M. J. Motherhood and social suffering in Brazilian mommy blogs. Psicologia: Teoria e Prática, v. 19, n. 2, p. 108-116, maio/ago. 2017. Disponível em: http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/ptp/article/view/10634. Acesso em: jul. 2020.

WILLIS, R. J. The direction of intergenerational transfers and demographic transition: the Caldwell hypothesis reexamined. Population and Development Review, v. 8, suppl., p. 207-234, 1982.

Publicado
2020-09-28
Como Citar
Simão, A. B., Zanatta Coutinho, R., & Ramalho Guedes, G. (2020). Desejo por filhos entre mulheres de alta escolaridade: conflitos, mudanças e permanências. Revista Brasileira De Estudos De População, 37, 1-23. https://doi.org/10.20947/S0102-3098a0123
Seção
Artigos originais