Utilização de dados secundários do SIM, Sinasc e SIH na produção científica brasileira de 1990 a 2006

  • Eliane de Freitas Drumond Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte
  • Carla Jorge Machado Cedeplar/UFMG
  • Maria do Rosário Vasconcelos UFMG
  • Elisabeth França UFMG
Palavras-chave: Bibliometria, Estatísticas vitais, Pesquisa/tendências, Indicadores de produção científica, Mortalidade

Resumo

Trata-se de estudo descritivo da distribuição e de algumas características dos artigos científicos publicados de 1990 a 2006 que utilizaram dados secundários dos Sistemas de Informação sobre Mortalidade (SIM), Nascidos Vivos (Sinasc) e/ou Informações Hospitalares (SIH). Após pesquisa bibliográfica no banco de dados MEDLINE/PubMed, com base no MeSH (Medical Subject Headings), selecionaram-se 294 artigos. Foram analisadas variáveis referentes aos artigos, autores e periódicos. Observou-se aumento de quatro vezes no volume de publicações e nas edições em inglês. Houve crescimento no número de periódicos utilizados, nas instituições de origem dos pesquisadores, na utilização conjunta de duas bases de dados e nas pesquisas dirigidas às doenças e agravos não-transmissíveis (especialmente as cardiovasculares e causas externas). Os resultados apontam expressiva ampliação da produção científica brasileira que utiliza dados do SIM, Sinasc e/ou SIH.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2013-08-12
Como Citar
Drumond, E. de F., Machado, C. J., Vasconcelos, M. do R., & França, E. (2013). Utilização de dados secundários do SIM, Sinasc e SIH na produção científica brasileira de 1990 a 2006. Revista Brasileira De Estudos De População, 26(1), 7-19. Recuperado de https://rebep.org.br/revista/article/view/143
Seção
Artigos originais