Da rotatividade migratória à baixa migração: uma análise dos padrões da mobilidade populacional no Brasil de 1995-2000

Everton Emanuel Campos de Lima, Fernando Gomes Braga

Resumo


Este trabalho propõe uma metodologia de classificação dos municípios brasileiros conforme a característica migratória, tendo como base as informações disponíveis no Censo Demográfico de 2000. Foram aplicadas análises multivariadas de redução e classificação de dados sobre um conjunto de variáveis selecionadas que descrevem a forma como os 5.507 municípios se articulam na rede migratória brasileira. Primeiramente, aplicou-se uma análise de componentes principais com a finalidade de reduzir o conjunto de variáveis originais em componentes não correlacionados entre si. Posteriormente, estes componentes foram empregados numa análise classificatória de cluster com o objetivo de estabelecer uma tipologia migratória das localidades em estudo. Os resultados mostraram que há importantes diferenciais na inserção dos municípios na rede migratória, na qual existe um grande número de lugares pouco conectados em contraste com um número pequeno de pontos que experimentam fortes conexões, e nos quais a população circula rapidamente. A classificação aponta para a existência de novas categorias de lugares, além das definições clássicas de atração e repulsão, como a rotatividade migratória.


Palavras-chave


Rotatividade migratória; Baixa migração; Mobilidade populacional

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



Revista Brasileira de Estudos de População, ISSN 0102-3098 (Impresso) e ISSN 1980-5519 (on-line) 

E-mail: editora@rebep.org.br e secretaria@rebep.org.br 

Financiadores:

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia