Insegurança alimentar, condições socioeconômicas e indicadores antropométricos em crianças da Região Metropolitana do Rio de Janeiro/Brasil

  • Patricia Gomes Pimentel Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro
  • Rosely Sichieri UERJ
  • Rosana Salles-Costa UFRJ
Palavras-chave: Insegurança alimentar, Indicadores socioeconômicos, Desnutrição infantil

Resumo

A utilização da Escala Brasileira de Insegurança Alimentar (Ebia) em estudos populacionais no Brasil tem sido estimulada para avaliar a situação de insegurança alimentar (IA), bem como sua associação com indicadores sociais e nutricionais na nossa população. Este estudo foi realizado com o objetivo de avaliar a associação de IA e indicadores antropométricos de crianças menores de 30 meses em Campos Elíseos/Duque de Caxias, Rio de Janeiro. Trata-se de estudo transversal de base populacional, com amostra de 1.085 domicílios, sendo 402 famílias com crianças. A coleta de dados foi realizada de maio a dezembro de 2005. Foram estudados indicadores socioeconômicos e utilizados indicadores antropométricos – peso-idade (P/I), estatura-idade (E/I), pesoestatura (P/E) – para avaliar o estado nutricional. A associação entre as variáveis independente e dependente foi estimada aplicando-se o teste qui-quadrado e o modelo de regressão logística multinomial univariado. A associação entre as medidas antropométricas e IA foi avaliada por meio de modelo de regressão linear univariada. Encontrou-se IA em 72% dos domicílios. Cerca de 80% das famílias apresentaram renda familiar mensal per capita inferior a dois terços do salário mínimo. Na análise por regressão logística multinomial, a ausência de saneamento básico e o baixo nível socioeconômico associaram-se a IA moderada e grave, enquanto a presença de aglomerado familiar relacionou-se com IA grave. Renda familiar mensal per capita e escolaridade da pessoa de referência da família associaram-se inversamente com todos os níveis de IA. A insegurança alimentar apresentou associação linear e negativa com escore-z para P/I (p=0,012) e P/E (p=0,05). Este estudo conclui que IA estimada pela Ebia associou-se tanto aos fatores socioeconômicos como à desnutrição infantil. Os resultados sugerem a importância da adoção de políticas públicas com o objetivo de minimizar as diferenças sociais, bem como a situação de IA e fome na população estudada.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2013-08-09
Como Citar
Pimentel, P. G., Sichieri, R., & Salles-Costa, R. (2013). Insegurança alimentar, condições socioeconômicas e indicadores antropométricos em crianças da Região Metropolitana do Rio de Janeiro/Brasil. Revista Brasileira De Estudos De População, 26(2), 283-294. Recuperado de https://rebep.org.br/revista/article/view/138
Seção
Artigos originais