Estruturas invisíveis de segregação na Região Metropolitana de Goiânia

Palavras-chave: Região Metropolitana de Goiânia, Espaço urbano, Segregação, Planejamento urbano, História, Demografia, Indicadores, Brasil

Resumo

Este artigo visa investigar a estrutura invisível de segregação da Região Metropolitana de Goiânia (RMG), a partir das inter-relações entre processos de produção do espaço urbano, princípios de planejamento e dinâmicas populacionais. Essas inter-relações são fundamentais para compreender a estruturação de desigualdades socioeconômicas nas áreas metropolitanas. Realizou-se uma análise do processo de formação da estrutura de segregação na região, abordando os diversos planos urbanísticos desenvolvidos para Goiânia. Apresenta-se, ainda, uma breve análise de indicadores populacionais com base em dados dos Censos Demográficos de 1950 a 2010 e de indicadores locais de associação espacial em 2010, para caracterizar as diferentes dinâmicas da região. Foi desenvolvida uma análise crítica destes aspectos, a fim de identificar e exibir as principais características da formação desta região em um diagrama síntese. Procuramos discutir como esta estrutura espacial resultante contribui para a reprodução de relações sociais segregadas. Os principais resultados indicam que a RMG não possui uma simples centralidade ou uma pluricentralidade. Há uma série de anéis concêntricos com diferentes tipos de centralidade funcionando em um sistema integrado – mas não inclusivo – de segregação. Identificamos também tópicos de pesquisas para investigar dinâmicas sociais, demográficas e econômicas que permitem aumentar o entendimento da formação espacial e de planejamento urbano dessa região. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ernesto Friedrich de Lima Amaral, Texas A&M University
Professor assistente no Departamento de Sociologia da Texas A&M University. Doutor em sociologia/demografia pela University of Texas at Austin. Mestre em demografia pelo Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional (Cedeplar) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Bacharel em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Goiás (UFG).

Referências

AMARAL, C. V. D. L. História dos bairros de Goiânia: uma visão interdisciplinar – o caso do setor universitário. Goiânia: UFG/UCG, Financiamento VPG, 2000.

AMARAL, E. F. D. L. Análise do nível, padrão e determinantes dos fluxos populacionais entre Bahia e São Paulo. Revista Brasileira de Estudos de População, v. 28, n. 2, p. 467-472, 2011.

ANSELIN, L. Local indicators of spatial association – LISA. Geographical Analysis, v. 27, n. 2, p. 93-115, 1995.

ANSELIN, L. Exploring spatial data with GeoDa: a workbook. Urbana, IL: Center for Spatially Integrated Social Science (CSISS), University of Illinois, 2005.

ANSELIN, L. Global spatial autocorrelation (1), Moran scatter plot and spatial correlogram. GeoDa: An Introduction to Spatial Data Analysis. The University of Chicago, 2018.

ANSELIN, L. Local spatial autocorrelation (1), univariate local statistics. GeoDa: An Introduction to Spatial Data Analysis. The University of Chicago, 2019.

ARANTES, C. M. D. F. Plano de Desenvolvimento Integrado de Goiânia. Goiânia: Instituto de Planejamento Municipal (Iplan), 1992.

ARANTES, G. D. F. Intervenções urbanas: rumo à cidade neoliberal. Curitiba: Editora Appris, 2015.

BOLAFFI, G. Habitação e urbanismo: o problema e o falso problema. In: MARICATO, E. (ed.). A produção capitalista da casa (e da cidade) no Brasil industrial. São Paulo: Editora Alfa-Omega, 1979. p. 37-70.

BONDUKI, N.; ROLNIK, R. Periferia da Grande São Paulo: reprodução do espaço como expediente de reprodução da força de trabalho. In: MARICATO, E. (ed.). A produção capitalista da casa (e da cidade) no Brasil industrial. São Paulo: Editora Alfa-Omega, 1979.

CAMPOS, F. I.; BERNARDES, G. D. A. Goiânia: sociabilidade na periferia. Ciências Humanas em Revista, v. 2, n. 1/2, p. 13-46, 1991.

CANCIAN, V.; VIDIGAL, V. C. G. A.; VIDIGAL, C. U. B. R. Pobreza de desigualdade de renda nos municípios da região Sul do Brasil: uma análise espacial. Maringá: Universidade Estadual de Maringá (UEM), Universidade Estadual do Paraná (Unespar), 2013.

CHAVES, E. G. De invasor a posseiro: Estado-Igreja e a luta pela terra urbana. 1985. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal da Paraíba (UFPB), João Pessoa, 1985.

CHIARINI, T. Análise espacial da pobreza municipal no Ceará, 1991-2000. Revista de Economia, v. 34, n. 2, p. 69-93, 2008.

CHIARINI, T. Acesso a serviços públicos e pobreza no Rio Grande do Sul: uma análise espacial – 2000. Ensaios FEE, v. 30, n. 1, p. 195-228, 2009.

CUNHA, J. M. P. da; BAENINGER, R. (ed.). Redistribuição da população e meio ambiente: São Paulo e Centro-Oeste. Campinas: Núcleo de Estudos de População (Nepo), Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), 1999.

CUNHA, J. M. P. da; JAKOB, A. A. E. Segregação socioespacial e inserção no mercado de trabalho na Região Metropolitana de Campinas. Revista Brasileira de Estudos de População, v. 27, n. 1, p. 115-139, 2010.

GONÇALVES, A. R. Goiânia: uma modernidade possível. Brasília: Ministério da Integração Nacional, 2003.

GRAEFF, E. A. Goiânia: 50 anos. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Superior (MEC-Sesu), 1985.

HARVEY, D. A produção capitalista do espaço. São Paulo: Annablume, 2005.

IPLAN – Instituto de Planejamento Municipal. Plano Diretor Integrado de Goiânia – PDIG 2000. Goiânia: Engevix & Iplan, 1992.

LEFEBVRE, H. La production de l'espace. 3. ed. Paris: Editions Anthropos, 1986.

LEFEBVRE, H. A revolução urbana. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1999.

LIMA, A. C. Plano diretor da cidade (Relatório apresentado ao Interventor Pedro Ludovico Teixeira); Goiânia – a nova capital (Resumo de um estudo). In: IBGE (ed.). Goiânia – Coletânea. Rio de Janeiro: Serviço Gráfico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 1942. p. 45-112.

MARCONATO, M.; BRAMBILLA, M. A.; RODRIGUES, K. C. T. T.; NASCIMENTO, S. P. D. Análise espacial da taxa de pobreza e da população rural da região Sul do país. Revista Textos de Economia, v. 18, n. 2, p. 16-40, 2015.

MENDONÇA, W. M.; RAMOS, P. D. S.; FRIAS, L. Uma análise espacial da dinâmica da desigualdade de renda em Minas Gerais em 1991, 2000 e 2010. Caderno de Estudos Interdisciplinares (CEI), edição especial – III Congresso ICSA – VIII Semana PIEPEX, p. 21-38, 2018.

MENHEM, N. L. A. F.; AMARAL, E. F. D. L. Vulnerabilidade no espaço urbano: análise da Região Metropolitana de Belo Horizonte, 2000. In: AMARAL, E. F. D. L. et al. (ed.). Aplicações de técnicas avançadas de avaliação de políticas públicas. Belo Horizonte: Fino Traço, 2014.

MOYSÉS, A. Desigualdades sócio-espaciais no Centro-Oeste brasileiro: o caso da Região Metropolitana de Goiânia. In: VIII CONGRESSO LUSO-AFRO-BRASILEIRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS, 2004, Coimbra. Anais […]. Coimbra: Centro de Estudos Sociais (CES), Universidade de Coimbra, 2004.

MOYSÉS, A. Análise das regiões metropolitanas do Brasil: como anda a metrópole goianiense. Goiânia: Observatório das Metrópoles, 2005.

MOYSÉS, A.; BERNARDES, G. D. A. Segregação urbana e desigualdade social em Goiânia: Estado, mercado imobiliário e dinâmica socioespacial. In: MOYSÉS, A. (ed.). Cidade, segregação urbana e planejamento. Goiânia: Editora UCG, 2005. p. 173-204.

NUNES, F. G. Análise exploratória espacial de indicadores de desenvolvimento socioambiental das regiões de planejamento do norte e nordeste goiano. Ateliê Geográfico, v. 7, n. 1, p. 237-259, 2013.

OLIVEIRA, A. M. V. D. Plano Diretor de Goiânia: Luis Saia. 1985. Monografia (Conclusão do Ramo de Teoria e História da Arquitetura do Curso de Arquitetura) – Universidade Católica de Goiás (UCG), Goiânia, 1985.

PEROBELLI, F. S.; HADDAD, E. A. Padrões de comércio interestadual no Brasil, 1985 e 1997. Revista de Economia Contemporânea, v. 10, n. 1, p. 61-88, 2006.

RIBEIRO, L. C. D. Q.; RIBEIRO, M. G. (ed.). Metrópoles brasileiras: síntese da transformação na ordem urbana 1980 a 2010. Rio de Janeiro: Letra Capital, Observatório das Metrópoles, 2018.

RIGOTTI, J. I. R.; VASCONCELLOS, I. R. P. Uma análise espacial exploratória dos fluxos populacionais brasileiros nos períodos 1986-1991 e 1995-2000. In: ENCONTRO NACIONAL SOBRE MIGRAÇÕES, 4., 2005. Anais […]. Rio de Janeiro: Abep, 2005.

SAIA, L. Plano Diretor de Goiânia. Goiânia, 1962.

SANTOS, E. I. D.; CARVALHO, I. C. C. L. S. D.; BARRETO, R. C. A. S. Análise espacial da pobreza no Nordeste brasileiro: uma aplicação do IMP. In: XI ENCONTRO DE ECONOMIA BAIANA, 2015. Anais […]. Salvador, 2015. p. 252-276.

SANTOS, E. I. D.; CARVALHO, I. C. C. L. S. D.; BARRETO, R. C. A. S. Pobreza multidimensional no estado da Bahia: uma análise espacial a partir dos censos de 2000 e 2010. Revista de Administração Pública, v. 51, n. 2, p. 240-263, 2017.

SANTOS, M. O espaço dividido: os dois circuitos da economia urbana dos países subdesenvolvidos. Rio de Janeiro: F. Alvez, 1979.

SANTOS, M. A urbanização brasileira. 3. ed. São Paulo: Hucitec, 1996.

SILVA, G. J. C. D.; SOUZA, E. C.; MARTINS, H. E. D. P. Produção agropecuária em municípios de Minas Gerais (1996-2006): padrões de distribuição, especialização e associação espacial. Revista de Economia e Sociologia Rural, v. 50, n. 2, p. 333-350, 2012.

SILVEIRA, G. F. et al. Análise espacial da pobreza nos municípios do Estado de São Paulo. Revista de Economia e Administração, v. 9, n. 2, p. 207-225, 2010.

SOJA, E. Postmetropolis: critical studies of cities and regions. Oxford: Backwell, 2000.

UN-HABITAT. State of the world’s cities 2008/2009: harmonious cities. Nairobi: United Nations Human Settelments Programme (UN-Habitat), 2008.

UN-HABITAT. State of the world’s cities 2010/2011: bridging the urban divide. Nairobi: United Nations Human Settelments Programme (UN-Habitat), 2010.

UN-HABITAT. World cities report 2016: urbanization and development, emerging cities. Nairobi: United Nations Human Settelments Programme (UN-Habitat), 2016.

Publicado
2019-12-03
Como Citar
de Lima Amaral, E. F., & de Lima Amaral, C. V. (2019). Estruturas invisíveis de segregação na Região Metropolitana de Goiânia. Revista Brasileira De Estudos De População, 36, 1-31. https://doi.org/10.20947/S0102-3098a0089
Seção
Artigos originais