Dinâmica intraurbana e redes sociais na Baixada Santista

  • Tiago Augusto da Cunha Departamento de Demografia, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas – IFCH, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)
  • José Marcos Pinto da Cunha Núcleo de Estudos de População / Universidade Estadual de Campinas
  • Alberto Augusto Eichman Jakob Núcleo de Estudos de População/Universidade Estadual de Campinas
Palavras-chave: Redes sociais, Mobilidade intrametropolitana, Baixada Santista

Resumo

Não é de hoje que diversos estudos atribuem grande importância à redistribuição espacial da população provocada a partir de movimentos migratórios nos processos de expansão urbana. Assim, o objetivo principal deste trabalho é destacar e delimitar ainda mais o estudo desses fluxos e movimentos, a partir da noção de redes sociais. Noção já largamente utilizada desde o final da década de 1970 em estudos sobre migração internacional, mas ainda pouco apropriada nos trabalhos sobre movimentos migratórios internos, principalmente os de curta distância, tais como os intrametropolitanos. Para tanto, são utilizados os dados de uma pesquisa domiciliar, realizada em 2007, a fim de levantar e analisar informações mais específicas sobre tais redes, uma vez que estas inexistem nas usuais fontes secundárias de dados. Dessa forma, a Região Metropolitana da Baixada Santista, além de ser encarada como recorte espacial, é também tomada como objeto de estudo do projeto temático “Vulnerabilidade das Metrópoles Paulistas”. A pesquisa domiciliar realizada permite, ainda, análises intramunicipais e intraurbanas a partir das chamadas zonas de vulnerabilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tiago Augusto da Cunha, Departamento de Demografia, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas – IFCH, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)
Doutorando em Demografia (ta_cunha@yahoo.com.br).
Publicado
2013-07-22
Como Citar
Cunha, T. A. da, Cunha, J. M. P. da, & Jakob, A. A. E. (2013). Dinâmica intraurbana e redes sociais na Baixada Santista. Revista Brasileira De Estudos De População, 30(1), 7-33. Recuperado de https://rebep.org.br/revista/article/view/12
Seção
Artigos originais