“Ageismo” no Brasil: O que significa ? Quem pratica? O que fazer com isto?

Ana Maria Goldani

Resumo


O principal objetivo deste artigo é chamar atenção para o ageismo e a idade como parte do sistema de preconceito e discriminação no Brasil. Embora o ageismo e a discriminação por idade sejam termos frequentemente usados como sinônimos, o ageismo refere-se essencialmente às atitudes que os indivíduos e a sociedade têm frequentemente com os demais em função da idade, enquanto a discriminação por idade descreve a situação em que a idade é o fator decisivo. Um exemplo de discriminação por idade é o empregador que decide contratar, promover, retreinar ou aposentar/dispensar um funcionário com base somente na idade. Ainda que reparar na idade de um indivíduo não seja inerentemente ofensivo, agir por estereótipos baseados em idade é claramente um preconceito contra o indivíduo, que frequentemente não é contestado pela sociedade. O presente artigo se baseia em achados empíricos e no conhecimento acumulado sobre a discriminação do idoso, e discute as posições teóricas que ligam a discriminação etária ao ageismo. Defendemos que o ageismo e a prática de discriminação por idade no Brasil devem ser vistos como parte das múltiplas formas de discriminação sofridas pelos indivíduos. A premissa central que orienta este trabalho é de que a forma como enquadramos o ageismo e as relações intergeracionais tem um efeito significativo tanto na discriminação baseada na percepção da idade quanto no apoio a programas sociais específicos por idade. Ilustraremos descrevendo o caso do Brasil.

Palavras-chave


“Ageismo”; Política; Iniquidade; Mudanças demográficas

Texto completo:

PDF (English)

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



Revista Brasileira de Estudos de População, ISSN 0102-3098 (Impresso) e ISSN 1980-5519 (on-line) 

E-mail: editora@rebep.org.br e secretaria@rebep.org.br 

Financiadores:

 

        

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia