Da atividade à invalidez permanente: um estudo utilizando dados do Regime Geral de Previdência Social (RGPS) do Brasil no período 1999-2002

  • Marília Miranda Forte Gomes Cedeplar/UFMG
  • Moema Gonçalves Bueno Fígoli Cedeplar/UFMG
  • Aloísio Joaquim Freitas Ribeiro Departamento de Estatística/UFMG
Palavras-chave: Tábuas de vida, Previdência, Invalidez permanente

Resumo

Este trabalho tem como objetivo estimar as probabilidades de transição de um indivíduo entre os estados de atividade e invalidez permanente, segundo sexo e idade, para os segurados do Regime Geral de Previdência Social – RGPS no período 1999-2002. Os resultados mostram que o risco de se aposentar por invalidez, para os homens, é crescente até os 65 anos de idade e depois diminui. Para as mulheres, as probabilidades de entrada em aposentadoria por invalidez são crescentes até a última idade considerada. O padrão observado pode ser explicado, entre outros motivos, pela competitividade do risco de se aposentar por invalidez com os outros benefícios cobertos pelo sistema previdenciário, caso o segurado tenha adiado ou não tenha cumprido a carência mínima exigida para requerer a concessão de tais benefícios. Por ser uma tábua adequada para a massa de participantes de um regime previdenciário, este trabalho contribui para um maior conhecimento sobre a invalidez, principalmente nas áreas de seguro e previdência.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2013-08-07
Como Citar
Gomes, M. M. F., Fígoli, M. G. B., & Ribeiro, A. J. F. (2013). Da atividade à invalidez permanente: um estudo utilizando dados do Regime Geral de Previdência Social (RGPS) do Brasil no período 1999-2002. Revista Brasileira De Estudos De População, 27(2), 297-316. Recuperado de https://rebep.org.br/revista/article/view/103
Seção
Artigos originais