Um estudo preliminar da demografia do Rio Grande do Norte colonial: fontes, métodos e resultados

  • Dayane Julia Carvalho Dias Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)
  • Carmen Margarida Oliveira Alveal Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Palavras-chave: Rio Grande do Norte, População, Século XVIII

Resumo

Este artigo pretende realizar um diálogo entre a Demografia e a História, aliando os conhecimentos específicos dessas duas disciplinas, no sentido de um melhor entendimento tanto dos números coletados para a população do Rio Grande do Norte quanto do contexto histórico que explicaria esses números. Portanto, o objetivo desse estudo é apresentar características sociodemográficas da população norte-riograndese na virada do século XVIII para o XIX, por meio dos primeiros mapas de população realizados na segunda metade do século XVIII, como parte da tentativa da política pombalina de conhecer melhor o império português. Assim, são discutidos alguns dados demográficos, como composição da população por sexo, cor/etnia e condição jurídica, da capitania do Rio Grande do Norte, com base em informações produzidas em 1782, 1788, 1801 e 1805, utilizando metodologias da demografia que serão explicitadas e com um diálogo direto com a historiografia da região.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dayane Julia Carvalho Dias, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)
Graduada em História (UFRN), mestre em Demografia (UFRN) e doutoranda em Demografia (Unicamp). Atua na área de demografia histórica.
Carmen Margarida Oliveira Alveal, Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Doutora pela Johns Hopkins University. Professora do departamento de história da UFRN e atua nos programas de pós-graduação em história da UFRN e UFC.

Referências

ALDEN, D. The population of Brazil in the late eithteenth century: a preliminary study. The Hispanic American Historical Review, v. 43, p. 173-205, 1963.

ANAIS da Biblioteca Nacional. Rio de Janeiro: Biblioteca Nacional, 1923. Volume XL, 1918.

ANDRADE, M. C. de A. A produção do espaço norte rio-grandense. Natal: Editora Universitária/UFRN-Proedi, 1981.

ARRAIS, R. P. A.; LUZ, D. C. S.; MARINHO, I. A. B.; ALVES, G. M. (Org.). Ceará-Mirim: tradição, engenho e arte. Natal: Sebrae/RN, UFRN, 2005. v. 1.

BATISTA, A. F. O sumário das armadas: guerras, missão e estratégias discursivas na conquista da Paraíba. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2012.

BOXER, C. R. A idade de ouro do Brasil: dores de crescimento de uma sociedade colonial. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1969.

CARVALHO, J. A. M. Evolução demográfica recente no Brasil. Pesquisa e Planejamento Econômico,

v. 10, n. 2, p. 527-553, ago. 1980.

______. Crescimento populacional e estrutura demográfica no Brasil. Belo Horizonte: Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional – Cedeplar / UFMG, 2004 (Texto para discussão, n. 227).

CARVALHO, J.A. M.; SAWYER, D. O.; RODRIGUES, R. do N. Introdução a alguns conceitos básicos e medidas em demografia. São Paulo: Abep, 1998 (Série Textos Didáticos, n. 1).

CASCUDO. L. da C. A casa de Cunhaú. Brasília: Senado Federal, 2008 (Edições do Senado Federal, v. 45).

______. História da Cidade do Natal. 4. ed. Natal: Ed. da UFRN, 2010.

______. História do Rio Grande do Norte. Natal: Fundação José Augusto; Rio de Janeiro: Achiamé, 1984.

CASTRO, P. V. de P. Dinâmica urbana de um município canavieiro: o caso de Ceará-Mirim-RN. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 1989.

CERQUEIRA, C. A.; GIVISIEZ, G. H. N. Conceitos básicos em demografia e dinâmica demográfica brasileira. In: RIOS-NETO, E. L. G.; RIANI, J. de L. (Org.). Introdução à demografia da educação.

Campinas: Associação Brasileira de Estudos Populacionais, 2004.

CHALHOUB, S. Cidade febril. Cortiços e epidemias na corte imperial. São Paulo: Cia das Letras, 1996.

CLEMENTINO, M. do L. M. Economia e urbanização: o Rio Grande do Norte nos anos 70. Natal: UFRN-CCHLA, 1995.

COUNTING COLONIAL POPULATIONS: demography and the use of statistics in the Portuguese Empire 1776-1890. Disponível em: http://colonialpopulations.fcsh.unl.pt/index.html. Acesso em: 31 jan. 2017.

DUSSEN, A. Van der. Relatório sobre o estado das Capitanias conquistadas no Brasil, redigido pelo senhor Adriaen van der Dussen, datado de 10 de dezembro de 1639 e apresentado ao Conselho dos XIX na Câmara de Amsterdam em 4 de abril de 1640. In: MELLO, J. A.G. de. Fontes para a história do Brasil holandês. Recife: Cepe, v.1, 2004.

EISENBERG, P. Modernização sem mudança: a indústria açucareira em Pernambuco 1840-1910. Rio de Janeiro: Paz e Terra; Campinas: Universidade Estadual de Campinas, 1977.

FARIA, S. de C. História da família e demografia histórica. In: FLAMARION, C.; VAINFAS, R. (Ed.). Domínios da História. Rio de Janeiro: Ed. Campus, 1997.

GOMES, R. de C. da C. Fragmentação e gestão do território no Rio Grande do Norte. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 1997.

GONÇALVES, R. C. Guerras e açúcares: política e economia na capitania da Paraíba (1583-1630). Bauru: Edusc, 2007.

HENRY, L.; FLEURY, M. Nouveau manuel de depouillement et d’ etat civil ancien. Paris: INED, 1965.

IHGRN – Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte. Sesmarias do Rio Grande do Norte. Mossoró: Gráfica Tercio Rosado, v. 1, 2000 (Coleção Mossoroense, série c, vol. 1136).

JUDSON, D. H.; POPOFF, C. L. Selected general methods. In: SIEGEL, J. S.; SWANSON, D. A. (Ed.). The methods and materials of demography. 2. ed. New York: Elsevier Academic Press, 2004. p. 668-748.

LOPES, F. M. Em nome da liberdade: as vilas de índios do Rio Grande do Norte sob o diretório pombalino no século XVIII. Tese (Doutorado) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2005.

______. Índios, colonos e missionários na colonização da capitania do Rio Grande do Norte. Mossoró: Fundação Vingt-un Rosado/IHGRN, 2003.

LYRA, A. T. de. História do Rio Grande do Norte. 3. ed. Natal: Ed. da UFRN, 2008.

MACHADO, C. A trama das vontades: negros, pardos e brancos na construção da hierarquia social do Brasil escravista. 1. ed. Rio de Janeiro: Apicuri, 2008. v. 1.

MARCÍLIO, M. L. Os registros paroquiais e a história do Brasil. Revista Varia Historia, n. 31, p. 13-20, 2004.

MARCÍLIO, M. L. Crescimento demográfico e evolução agrária paulista, 1700-1836. São Paulo: Hucitec, 2000.

MATOS, P. T. de; SOUZA, P. S. A estatística da população na América portuguesa, 1750-1820. Revista Digital de Historia y Arqueología desde el Caribe Colombiano, Ano II, n. 25, p. 72-103, enero-abril 2015.

MEDEIROS, G. E. P. de. A auto-afirmação político-administrativa da capitania do Rio Grande do Norte no início do século XIX. Monografia (Graduação em História) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2011.

MEDEIROS, R. P. de. Povos indígenas nas guerras e conquistas do período colonial. CLIO – Série Revista de Pesquisa Histórica, n. 27-1, p. 331-361, 2009.

MEDEIROS, T. Estudos de história do Rio Grande do Norte. Natal: Tipografia Santa Cruz, 2001.

MELLO, J. A. G. de. Fontes para a história do Brasil holandês. Recife: CEPE, 2004.

______. A relação das praças fortes do Brasil (1609) de Diogo Campos Moreno. Revista do Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico Pernambucano, v. LVII, p. 177-246, 1984.

MENDONÇA, S. R. de. O ruralismo brasileiro. São Paulo: Hucitec, 1997.

MONTEIRO, D. M. Introdução à história do Rio Grande do Norte. 3. ed. Natal: EDUFRN, 2007.

MOURA, A. S. de. O beneficiamento do couro e seus agentes na capitania de Pernambuco (1710 -1760). Recife: Universidade Federal de Pernambuco, 2014.

PAIVA, E. F. Histórias comparadas, histórias conectadas: escravidão e mestiçagem no mundo ibérico. In: PAIVA, E. F.; IVO, I. P. (Org.). Escravidão, mestiçagens e histórias comparadas. São Paulo: Annablume; Belo Horizonte: PPGH-UFMG; Vitória da Conquista: Edições UESB, 2008 (Coleção Olhares).

______. Dar nome ao novo: uma história lexical da Ibero-América entre os séculos XVI e XVIII (as dinâmicas de mestiçagens e o mundo do trabalho). Belo Horizonte: Autêntica, 2015.

PAIVA, Y. A demografia da Paraíba. Uma análise preliminar, 1774-1820. Anais de História de Além Mar, n. 16, p. 205-226, 2015.

PEREIRA, N. Imagens de Ceará-Mirim. 3. ed. Natal: Fundação José Augusto, 1989.

PIRES, M. I. C. Guerra dos bárbaros: resistência indígena e conflitos no Nordeste colonial. 1. ed. Recife: Fundarpe, 1990.

PITTA, S. da R. História da América portuguesa. Belo Horizonte: Ed. Itatiaia; São Paulo: Ed. da Universidade de São Paulo, 1976 [1730].

PRADO JR., C. Formação do Brasil contemporâneo. 23. ed. São Paulo: Editora Brasiliense, 1994.

PUNTONI, P. A guerra dos bárbaros: povos indígenas e a colonização do sertão Norte do Brasil, 1650-1720. São Paulo: Hucitec / Edusp, 2002.

RECENSEAMENTO IMPERIAL DE 1872. Disponível em: <http://www.nphed.cedeplar.ufmg.br/pop72>. Acesso em: 10 mar. 2017.

RIBEIRO, P. H. M. Escravos e sua senhora: estudo dos cativos da família Albuquerque Maranhão (1823). Monografia (Graduação em História) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2012.

RODARTE, M. M. S. O trabalho do fogo: perfis de domicílios enquanto unidades de produção e reprodução de Minas Gerais Oitocentista. Tese (Doutorado em Demografia) – Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2008.

SANTOS, J. da S. M. A expansão canavieira no vale do Ceará Mirim 1845-1930. Monografia (Graduação em História) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2001.

SANTOS, P. P. dos. Evolução econômica do Rio Grande do Norte: séculos XVI ao XX. Natal: Clima, 1994.

SCHWARCZ, L. K. M. Homem de sciencia e a raça dos homens: cientistas, instituições e teorias raciais em finais do século XIX. Tese (Doutoramento) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 1993.

SCHWARTZ, S. B. Segredos internos: engenhos e escravos na sociedade colonial. São Paulo: Companhia das Letras, 1988.

SHRYOCK, H. S.; SIEGEL, J. S. The methods and materials of demography. San Diego: Academic Press, 1976.

SENNA, J. G. de. Ceará-Mirim: exemplo nacional (1938-1972). Rio de Janeiro: Pongetti, 1974. 2 v. SILVA FILHO, J. R. da. Os homens de Deus na terra dos homens: os vigários seculares na capitania do Rio Grande no século XVIII. Monografia (Graduação em História) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2012.

SOARES, F. M. Levantamento do uso da terra e perspectivas agrícolas no município de Ceará-Mirim – RN através de técnicas de sensoriamento remoto. Dissertação (Mestrado em Geografia – Organização do Espaço) – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 1985.

SOUZA, A. de M. Liberdades possíveis: escravidão e alforria no termo da vila de Arez (séculos XVIII e XIX). Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2013.

______. O culto religioso produzindo novos territórios: a (re)invenção de Cunhaú. Monografia (Graduação em História) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2005.

SOUZA, I. de. A República Velha no Rio Grande do Norte (1889-1930). Natal: Centro Gráfico do Senado Federal, 1989 (edição comemorativa do primeiro centenário da Proclamação da República do Brasil).

VIANA, L. O idioma da mestiçagem: as irmandades de pardos na América portuguesa. Campinas: Editora da Unicamp, 2007.

Publicado
2017-12-20
Como Citar
Dias, D. J. C., & Alveal, C. M. O. (2017). Um estudo preliminar da demografia do Rio Grande do Norte colonial: fontes, métodos e resultados. Revista Brasileira De Estudos De População, 34(3), 485-507. https://doi.org/10.20947/S0102-3098a0032
Seção
Artigos originais