[1]
G. Martine, “Ciência, cultura e a estagnação da agenda ambiental”, Rev. bras. estud. popul., vol. 31, nº 1, p. 231-238, jun. 2014.