Oportunidades: Chamada para Dossiê - Rebep

Chamada para dossiê -  REBEP

Demografia do Brasil Colonial: fontes, métodos e resultados, 1750-1822

 

Estatísticas demográficas constituíram um instrumento decisivo para a construção dos estados modernos e para o processo de colonização do novo mundo. O processo de criação de um quadro normativo e um aparato burocrático capaz de produzir, coletar e interpretar dados numéricos deu origem à classificação quantitativa e qualitativa dos povos do Ultramar. Categorias estatísticas e circuitos de produção dos dados revelam a intensidade com a qual o Estado penetrou seus territórios durante a tentativa de construir uma nova ordem. Além disso, foram compiladas as informações disponíveis sobre os caminhos desses territórios e suas populações.

A existência de um corpus significativo de estatísticas populacionais para o Brasil, ordenada pela Coroa portuguesa desde meados do século XVIII permite aos pesquisadores coletar, processar e analisar os dados estatísticos sobre a população solicitados pela Coroa (os chamados mapas estatísticos da população). Ao mesmo tempo, eles permitem gerar indicadores e séries demográficas para a maioria das capitanias brasileiras.

Apesar de estudos pioneiros publicados nas décadas de 1960 e 1970, a maioria deles conduzido por Dauril Alden, Maria Luiza Marcílio e Iraci del Nero da Costa, as estatísticas populacionais, que podem remontar à década de 1720, permaneceram praticamente ignoradas pela historiografia produzida nos anos subsequentes.

A presente convocatória tem como objetivo, portanto, reunir pesquisas sobre a demografia histórica brasileira, baseadas na exploração dessas fontes e possíveis conexões com o processo de produção dessas estatísticas na América espanhola. O período privilegiado para este dossiê (1750-1822) está relacionado com a abundância de dados estatísticos sobre a s populações. De fato, a sob a influência da Aritmética Política durante o reinado de D. José I (1750-177) houve a convergência dos esforços da administração central e das autoridades locais para a produção de estatísticas globais, em acordo com as ordens régias. Portanto, é possível realizar comparações nesse intervalo temporal no território sob domínio ibérico na América. A partir de 1822 com a independência do Brasil uma nova etapa se iniciou na produção dessas estatísticas, requerendo, assim abordagens diferenciadas.

A Revista Brasileira de Estudos da População (REBEP) convida pesquisadores interessados a apresentar propostas (artigos originais, revisões críticas, pontos de vista, notas de pesquisa e resenhas) sobre os seguintes temas:

  1. Novos dados demográficos sobre as capitanias brasileiras (1750-1822). Preferencialmente devem apresentar a seguinte estrutura:
  • Historiografia
  • As fontes: descrição, contexto de produção, qualidade e desafios para sua exploração
  • Discussão (Se possível, pede-se a produção dos seguintes indicadores)
    • Taxas de crescimento anual
    • População urbana
    • Composição racial/religiosa. População livre e demais categorias
    • Divisão por grande grupos etários (0-19, 20-60, 60+)
    • Razão de sexo
    • Taxas brutas de natalidade e mortalidade
  1. Elaboração de classificações de acordo com: raça e/ou outros atributos apresentados nos mapas de população;
  2. Produção de dados quantitativos no final do Antigo Regime: aparelho de Estado, comunicação burocrática e quadros normativos;
  3. Estudos comparativos sobre a produção de estatísticas demográficas na América Ibérica: normativas e correspondência oficial;
  4. Métodos de demografia histórica e ferramentas para as estatísticas pré-modernas;

 

Esperam-se submissões de propostas sobre esses temas ou sobre os outros a respeito do objeto do Dossiê. Serão aceitas contribuições em Português, Espanhol, Inglês, incluindo a possibilidade de publicar na língua original do manuscrito e tradução para outra língua, se houver recursos disponíveis.

Toda submissão deve ser feita pelo sistema online em www.rebep.org.br. Para identificação do dossiê, em sua submissão, em nota para a editora, acrescente a informação “Submissão para o dossiê: Demografia do Brasil Colonial: fontes, métodos e resultados, 1750-1822”.

A submissão podem ser realizadas a partir da data de publicação desta convocatória até o dia 30 de dezembro de 2016 (adiada para 31 de janeiro de 2017). Todas as submissões passarão pelo mesmo processo de avaliação de artigos submetidos à Revista (duplo-cega) e aprovação final pelo Comitê Editorial. A previsão é que este número seja lançado em 2017.

O processo de submissão de fluxo contínuo de outros temas para a Revista, continua vigorando no período de convocatória de Dossiês ou Números Temáticos. Ainda, ressalta-se que as normas regulares da Revista devem ser preservadas como, por exemplo, um autor não deve aparecer mais de uma vez em cada edição de artigo aprovado, exceto em casos justificados e aprovados. Ainda, para evitar conflitos de interesse, os editores e coeditores somente devem publicar em textos não submetidos a parecer duplo-cego, também, os autores com textos submetidos aos Dossiês e Temáticos não devem atuar como pareceristas enquanto tiverem artigo em avaliação.

 

Comitê Editorial

Revista Brasileira de Estudos de População

 

 



Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia